A Arábia Saudita, no entanto, disse que frustrou o ataque, desencadeando a queda nos preços do petróleo (Imagem: Pixabay)

O petróleo Brent recuou para cerca 68 dólares por barril em uma sessão volátil nesta terça-feira, pressionado pelo alívio nos temores de interrupção de oferta na Arábia Saudita, que ofuscou uma pausa no rali do dólar e perspectivas de oferta mais apertada diante dos cortes de produção da Opep+.

Na segunda-feira, a commodity havia atingido o maior nível desde o início da pandemia de coronavírus, um dia depois de forças iemenitas Houthi atacarem instalações petrolíferas sauditas.

A Arábia Saudita, no entanto, disse que frustrou o ataque, desencadeando a queda nos preços do petróleo.

O petróleo Brent fechou em queda de 0,72 dólar, ou 1,06%, a 67,52 dólares o barril. O contrato cedeu após ser negociado em uma máxima de 69,33 dólares.

Na véspera, atingiu 71,38 dólares, maior valor desde 8 de janeiro de 2020.

Já o petróleo dos Estados Unidos (WTI) recuou 1,04 dólar, ou 1,6%, para 64,01 dólares o barril. O contrato tocou sua máxima desde outubro de 2018 na segunda-feira.

“Há uma expectativa de que veremos um novo aumento na oferta de petróleo nos EUA, porque as refinarias continuam fechadas”, disse Phil Flynn, analista sênior do Price Futures Group.

Na semana passada, os estoques de petróleo dos EUA tiveram uma diminuição recorde após uma tempestade de inverno no Texas, que interrompeu a operação de refinarias.

“O mercado parece estar se aliviando dessas preocupações. Ele teve uma sequência incrível de alta, e está pronto para uma correção”, afirmou Flynn.

Fonte: Reuters

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Vendas de combustíveis do ciclo Otto têm menor queda mensal do ano, diz Unica

O consumo de combustíveis pela frota de veículos leves do Brasil registrou em setembro a menor…

ESPECIAL-Crime organizado drena bilhões de postos de combustíveis no Brasil

Viaje pelo Brasil e você perceberá em quase todo lugar sinais da BR Distribuidora (SA:BRDT3), proprietária da maior cadeia de combustíveis da América do Sul.

Governo quer tirar do papel pacote de bondades para caminhoneiros

Depois de alguns atos pontuais de paralisação na semana passada e ainda com a sombra de que os caminhoneiros possam trazer problemas ao governo, o presidente Jair Bolsonaro quer apresentar “o quanto antes” uma série de medidas para agradar a categoria.

Novo Diretor-Geral da ANP deve, finalmente, liberar venda direta de etanol

O novo diretor-geral interno da Agência Nacional do Petróleo (ANP), Raphael Moura,…