Petróleo cai devolvendo ganhos gerados por furacão Ida

Os preços do petróleo perderam força nesta quinta-feira, devolvendo alguns dos recentes ganhos e sob pressão dos sinais de desaceleração do mercado de trabalho dos EUA.

Por volta das 12h45 (horário de Brasília), os futuros do WTI caíam 0,6%, a US$ 72,17 o barril, enquanto os futuros do Brent caíam 0,4%, a US$ 75,15 o barril.

Os futuros da gasolina RBOB dos EUA caíam 1,2%, a US$ 2,1805 o galão.

Os pedidos iniciais de seguro-desemprego subiram para 332.000 na semana encerrada em 11 de setembro, de acordo com dados divulgados na quinta-feira, sugerindo que a recuperação no mercado de trabalho permanece frágil, com a propagação da variante delta potencialmente representando uma ameaça.

Dito isso, o mercado está apenas marginalmente abaixo das altas de quarta-feira, que foram os níveis mais fortes desde o início de agosto, depois que os estoques de petróleo dos EUA caíram mais de 6 milhões de barris na semana passada para uma mínima de dois anos, com as instalações offshore ainda se recuperando do impacto do furacão Ida.

Quase 30% da produção do Golfo do México permaneceu cortada até quarta-feira, de acordo com o Bureau de Segurança e Fiscalização Ambiental (BSEE, na sigla em inglês).

O petróleo se beneficia também do aumento dos preços de energia na Europa, que dispararam pelos baixos estoques de gás e fornecimento do mesmo menor do que o normal da Rússia.

O Commerzbank prevê o Brent encerrando 2021 a US$ 75 o barril, com modesta queda para US$ 70 o barril em 2022, com possível excesso de oferta no próximo ano se a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados, a Opep+, seguir seus atuais planos de produção.

A Opep+ concordou no início deste mês em continuar aumentando gradualmente a produção disponível para o mercado global, adicionando mais 400.000 barris por dia de capacidade ociosa neste mês.

Por outro lado, uma oferta adicional pode chegar ao mercado em um futuro próximo, depois que a estatal de petróleo da Líbia, a National Oil Corporation, afirmou que os protestos nos terminais de petróleo de Es Sider e Ras Lanuf, no leste da Líbia, terminaram, permitindo que as operações de exportação de petróleo do país voltem ao normal.

Petróleo fecha em alta, apoiado por queda nos estoques dos EUA

Os contratos futuros do petróleo fecharam em alta nesta quarta-feira, 20. Apesar de abrirem em baixa com a previsão de aumento nos estoques do óleo dos Estados Unidos, os ativos operaram em geral no positivo e ganharam força quando o resultado foi de queda nos estoques.

Produção de etanol nos EUA sobe 6,2% na semana, para 1,096 milhão de barris/dia

A produção média de etanol nos Estados Unidos foi de 1,096 milhão de barris por dia na semana encerrada em 15 de outubro.

Iraque: o petróleo pode chegar a US $ 100 no próximo ano

Os preços do petróleo podem chegar a US $ 100 o barril durante o primeiro semestre de 2022 em meio a baixos estoques comerciais globais, disse o ministro do Petróleo do Iraque, Ihsan Abdul Jabbar Ismaael , na quarta-feira, conforme publicado pela Reuters.