Petróleo em queda; especuladores encerram posições longas com temores sobre Covid

© Reuters.

Investing.com – Os preços do petróleo recuaram na segunda-feira com receios quanto ao número crescente de casos de Covid-19 no mundo, pesando sobre os ânimos em torno das perspectivas de demanda do combustível.

Às 13h27, os contratos futuros do petróleo WTI, cotado em Nova York, eram negociados com baixa de 0,6% a US$ 71,62 por barril, enquanto os contratos do Brent, cotado em Londres e referência mundial de preço, apresentava queda de 0,29% a US$ 73,23.

Os futuros da gasolina RBOB dos EUA apresentavam operava estável a US$ 2,2613 por galão.

Os novos casos de Covid-19 vêm subindo na Ásia há algumas semanas, mas os ânimos no mercado de petróleo começam a se deteriorar com o aumento de infecções nos grandes consumidores de energia do Ocidente.

Os Estados Unidos não suspenderão nenhuma das atuais restrições de viagens “neste momento”, devido a preocupações com a variante delta da Covid-19, altamente transmissível, e o número crescente de casos de coronavírus nos EUA, publicou a Reuters nesta segunda-feira, citando um oficial da Casa Branca.

Além disso, na Europa, o Chefe do Estado-Maior da chanceler alemã Angela Merkel disse no domingo que receia que o número de novos casos de coronavírus possa saltar para 100.000 por dia em dois meses ou mais, enquanto o Parlamento francês aprovou na segunda-feira uma lei que exige que o público obtenha um passe de saúde através da vacinação para acessar diversos locais abertos ao público.

“Qualquer reversão significativa na flexibilização das restrições em partes da Europa e dos EUA enviaria um sinal bastante bearish para o mercado, especialmente quando se consideram as taxas de vacinação mais elevadas nessas regiões”, afirmaram analistas do ING em um relatório.

A preocupação de que esse aumento nos casos resultará em uma recuperação mais lenta no setor de serviços levou o Goldman Sachs (NYSE:GS) a cortar sua previsão de crescimento econômico dos EUA para o restante do ano na segunda-feira. O influente banco reduziu sua previsão de crescimento para os dois últimos trimestres do ano em 1 ponto percentual cada, para 8,5% e 5,0%, respectivamente.

Também são de interesse os mais recentes dados de posicionamento, com especuladores reduzindo suas posições longas líquidas nos contratos Brent ICE como NYMEX WTI durante a última semana de relatório.

Eles cortaram suas posições longas líquidas em Brent ICE em 50.786 lotes, deixando-os com um longo líquido de 261.841 lotes, a menor posição desde maio passado. A movimentação foi ainda maior para o WTI, onde os especuladores reduziram suas posições longas líquidas em 64.702 lotes, deixando-os com um longo líquido de 316.789 lotes, a menor posição detida pelos especuladores desde novembro do ano passado.

IBP critica mudanças regulatórias na venda de combustíveis

Representante das grandes distribuidoras de combustíveis, o Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP) se posicionou a favor da manutenção do atual modelo de funcionamento do mercado de revenda de derivados de petróleo.

Estes são os postos de combustíveis populares e preferidos por brasileiros

Os postos de combustível Petrobras BR, Ipiranga e Shell são as marcas com maior índice de popularidade entre os brasileiros, é o que aponta um estudo realizado pela empresa de pesquisa de satisfação e NPS (Net Promoter Score) SoluCX: as marcas foram citadas por 73,2%, 72,8% e 69,1% dos respondentes da pesquisa, respectivamente.

Guerra política no Brasil e economia mundial devem manter preço da gasolina nas alturas

Economistas dizem que toda vez que o discurso golpista avança, desconfiança cresce e dólar sobe, elevando o preço dos combustíveis. Motoristas de aplicativo dizem que serviço já não compensa diante dos custos.