© Reuters. AIE: novos surtos da covid e lockdowns atrasam retomada na demanda por petróleo

Os contratos de petróleo fecharam em alta nesta terça-feira, 13. O avanço do índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) dos Estados Unidos e a revisão para cima da projeção de crescimento da demanda global pela commodity da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) puxaram o movimento, sobrepondo-se a preocupações com a vacina contra a covid-19 da Johnson & Johnson (NYSE:JNJ) (SA:JNJB34), cujo uso supostamente provocou casos raros de trombose.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril do petróleo WTI com entrega prevista para maio avançou 0,80% (+US$ 0,48), a US$ 60,18, enquanto o do Brent para junho teve alta de 0,62% (+US$ 0,39), a US$ 63,67, na Intercontinental Exchange (ICE).

A inflação ao consumidor americano avançou 0,6% entre fevereiro e março deste ano, acima da média das previsões de analistas consultados pelo Projeções Broadcast e na maior alta mensal do CPI desde agosto de 2012. Após a divulgação do indicador, o petróleo acelerou sua trajetória de alta, já firmada pelo relatório mensal da Opep divulgado na manhã de hoje.

O cartel aumentou sua projeção de alta para o crescimento da demanda global pelo óleo, de 5,9 milhões para 6,0 milhões de barris por dia em 2021. A expectativa pela demanda no primeiro semestre, porém, foi revisada para baixo, em meio à adoção de medidas por governos para conter o avanço da pandemia de coronavírus na Europa e em países emergentes.

Em relatório a clientes, a Capital Economics prevê que a oferta dos países da Opep, com exceção do Irã, deve continuar contida em abril, e aumentar gradualmente a partir de maio, citando o próprio calendário de cortes na produção do grupo e a perspectiva de aumento na oferta iraniana por conta de um acordo do país com a China. “Em resumo, ainda que a produção da Opep esteja prevista para subir nos próximos meses, esperamos que a demanda se recupere ainda mais rápido, o que deve encarecer os contratos de petróleo como consequência”, projeta a consultoria.

O noticiário positivo nesta segunda fez com que investidores apenas acompanhassem o pedido do Food and Drug Administration (FDA, agência reguladora de medicamentos dos EUA) e do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) de suspender temporariamente o uso da vacina contra a covid-19 da Johnson & Johnson nos EUA, devido a casos raros de trombose supostamente provocados pelo produto.

O mercado ainda acompanhou conflitos entre rebeldes houthi do Iêmen e a Arábia Saudita. Na madrugada de hoje, a imprensa internacional noticiou ataques dos rebeldes a instalações petrolíferas sauditas.

Fonte: investing.com

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Preço médio do etanol sobe na semana em 13 Estados e no DF, diz ANP

Nos postos pesquisados pela ANP em todo o País, o preço médio do etanol subiu 0,66% na semana ante a anterior, de R$ 3,051 para R$ 3,071 o litro

Petróleo dos EUA atinge US$ 10, capacidade de armazenamento em risco; entenda

Os mercados de petróleo estavam em baixa na segunda-feira (20), caindo para mínimas de 1999.

Os Futuros do Petróleo subiram durante a sessão dos Estados Unidos

Na Bolsa Mercantil de Nova York, Os Futuros do Petróleo em Junho foram negociados na entrega a US$ 65,22 por barril no momento da escrita, subindo 0,72%.

Arábia Saudita diz que Opep+ deve estar pronta para agir quando mercado precisar

Produtores de petróleo da Opep+ devem estar preparados para responder ao mercado…