A commodity é um dos ativos mais afetados pelos impactos do surto de coronavírus na economia da China. Nesta segunda-feira, o petróleo Brent para abril fechou em queda de 3,83%, acumulando perdas de 20,98% desde 6 de janeiro.

Os contratos futuros do petróleo fecharam em forte queda nesta segunda-feira (3). O petróleo Brent para abril fechou em queda de 3,83%, a US$ 54,45 por barril, acumulando perdas de 20,98% em relação ao pico alcançado no dia 6 de janeiro, de US$ 68,91.

Já o petróleo WTI para março, por sua vez, recuou 2,81%, a US$ 50,11 por barril, acumulando perdas de 20,79% desde o pico de US$ 63,27, alcançado no mesmo dia.

Depois de operar sem direção única no começo da manhã desta segunda, o petróleo caiu acentuadamente na sessão. A commodity é um dos ativos mais afetados pelos impactos do surto de coronavírus na economia da China, que é o maior importador líquido de petróleo do mundo.

Apesar da melhora dos mercados acionários, o surto do coronavírus continua a se agravar. Hoje, a província de Hubei teve 2.345 novas infecções por coronavírus desde o domingo (2), diz comunicado do governo chinês. Com esses novos registros, a China tem pelo menos 425 mortes e 20,4 mil casos confirmados da doença.

O mercado de ações em Nova York foi ajudado por dados positivos nos Estados Unidos, incluindo o primeiro mês de expansão da atividade industrial, de acordo com dados do ISM, desde julho do ano passado. O petróleo, porém, ignorou os dados, uma vez que os temores estão relacionados à demanda da China.

Michael Mullaney, diretor de pesquisa de mercados globais da Boston Partners, ressalta que, em casos anteriores de surtos de doenças contagiosas, as ações tendem a cair, inicialmente, mas acabam se recuperando quando o ritmo de contaminações diminui. “Quando ocorreu uma desaceleração no número de novos casos, historicamente o mercado se saiu bem depois disso.”

Fonte: Valor Online – Texto extraído do Portal G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Petrobras anuncia aumento de 5% na gasolina válido a partir do dia 8

A Petrobras informou às distribuidoras que a partir da quarta-feira, 8, a gasolina estará 5% mais caras nas refinarias.

BR Distribuidora e Raízen cancelam compras de etanol e podem abrir disputa com usinas

As principais distribuidoras de combustíveis do Brasil, a BR Distribuidora e a Raízen, começaram a cancelar contratos de compra de etanol junto às usinas de cana-de-açúcar.

Preços do petróleo têm rali em meio à aceleração de cortes de bombeamento

Os preços do petróleo voltaram a subir nesta quinta-feira, ampliando a recuperação depois de grandes países produtores da commodity afirmarem que vão acelerar os cortes.