Petróleo rompe resistência com indicação dos Estados Unidos sobre auxilio emergencial (Imagem: REUTERS/Christian Hartmann)

A reação firme do petróleo após sinais positivos de Donald Trump sobre novo pacote bilionário de auxílio à economia dos Estados Unidos ajuda a aliviar alguma pressão sobre o etanol, que veio de alta na semana passada.

Na esteira de todos os ativos de risco, inclusive o dólar index em baixa e bolsas em alta, o mercado ficou otimista com o potencial de demanda para o óleo cru, vindo a alimentar a maior economia global.

O barril do tipo Brent está em mais 3,10% na bolsa de Londres, nesta quinta (8), perseguindo os US$ 43,5/barril, para entrega em dezembro, depois de cair para US$ 41,99 na véspera, quando o mercado ratificava quedas após o presidente americano dizer (no dia anterior) que abandonaria as negociações com os Democratas.

O benchmark nos Estados Unidos também salta mais de 3%, acima de US$ 41.

O etanol hidratado estava com preços estabilizados nas usinas, depois da alta de 1,92%, indo a R$ 1,8642 livres de impostos e fretes – a segunda semana de elevações -, pelo levantamento do Cepea/Esalq.

Agora pode reagir, inclusive nesta sexta, com os distribuidores tentando antecipar compras ante a possíveis aumentos da gasolina na refinaria.

Fonte: Money Times

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Demanda global por petróleo ainda não atingiu pico, diz AIE

No ano passado, o consumo global de petróleo totalizou quase 100 milhões de barris por dia

Preços do petróleo recuam com temores de 2ª onda de coronavírus

Novos cortes de produção pela Arábia Saudita amenizaram temores quanto o excesso de oferta e limitaram as perdas.

Greve: petroleiros incluem preço dos combustíveis na pauta de reivindicações

Infomoney 26/11/2019 – O preço dos combustíveis entrou na pauta de reivindicações…