© Reuters. Os Futuros do Petróleo subiram durante a sessão dos Estados Unidos

Investing.com – Os preços do petróleo aumentaram cerca de 1% na terça-feira, à medida que os touros do mercado tentavam armar a base após as perdas épicas do pregão anterior. As atenções se voltaram para a divulgação do estoque semanal tanto pela indústria como pelo governo.

O petróleo WTI, negociado em Nova York, fechou em alta de US$ 0,85, ou 1,3%, a US$ 67,20 por barril para setembro, o novo mês de maior negociação. 

O WTI de agosto, que era o parâmetro do mercado até segunda-feira, perdeu US$ 5,39 ou 7,5% no pregão anterior, na maior queda de um dia desde abril de 2020. O WTI de agosto expirou como contrato na terça-feira depois de fechar om alta de US$ 1, ou 1,5%, a US$ 67,42 dólares.

Brent, negociado em Londres e referência global para o petróleo, encerrou a US$ 69,35 no seu contrato de setembro mais negociado. Na segunda-feira, esse contato tinha perdido US$ 4,97, ou 6,8%.

Os preços do petróleo fecharam o pregão antes dos dados dos estoques de petróleo, gasolina e diesel dos Estados Unidos, a serem divulgados pelo American Petroleum Institute, entidade do setor, e pela agência governamental Energy Information Administration.

O API divulgará às 17:30h um retrato dos estoques de petróleo, gasolina e destilados para a semana encerrada em 16 de julho. 

Os números do API servem de precursor dos dados oficiais de inventário semanal, com divulgação prevista para quarta-feira pela EIA. 

Segundo um consenso entre os analistas acompanhados pelo Investing.com, os estoques de petróleo bruto dos Estados Unidos provavelmente apresentaram queda de 4,47 milhões de barris na semana passada, depois de uma redução de 7,90 milhões na semana anterior.

Espera-se que os estoques de gasolina tenham apresentado queda de 1,04 milhão de barris, revertendo um acúmulo do mesmo volume na semana anterior, segundo o consenso.

E os estoques de destilados, compostos de diesel e óleo para aquecimento, provavelmente apresentaram aumento de 557.000 barris na semana passada, depois de crescerem 3,66 milhões na semana anterior.  

A tendência de venda do petróleo na segunda-feira ocorreu após o anúncio de um aumento da produção a partir de agosto por parte da aliança produtora de petróleo Opep+ coincidir com um ressurgimento dos casos Covid da variante delta, que despertou receios sobre o crescimento global. O recuo do petróleo foi exacerbado por uma queda em ações globais e outros ativos de risco, incluindo as criptomoedas. 

O desempenho dos mercados na terça-feira sugere que algumas das preocupações sobre o crescimento tinham se reduzido, e que a Opep+ talvez não esteja numa posição tão tênue para gerenciar as ofertas adicionais num mercado bastante equilibrado, afirmaram os analistas.

“Um movimento abaixo daqui pode indicar algum impulso negativo a curto prazo, mas na minha avaliação ele seria bastante limitado, tendo em conta as perspectivas a longo prazo para muitos países e a forma como a estratégia de saída está sendo gerenciada pela Opep+”, afirmou Craig Erlam, que supervisiona a pesquisa para a Europa, Oriente Médio e África na corretora OANDA, sediada em Nova York.

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Etanol: queda ou estabilidade ante risco de redução na gasolina por tombo do petróleo?

Os mais de 5% perdidos na quarta e os mais de 3,20%…

Petroleiras chinesas negociam fatia da Exxon em campo no Iraque

As gigantes China National Petroleum e CNOOC estudam comprar a participação restante…

Preços do petróleo fecham em alta após máxima de 15 meses, com perspectivas de demanda

Os preços do petróleo fecharam em alta nesta terça-feira, com o Brent atingindo mais que 71 dólares e negociado na sua máxima desde março, com expectativas para um aumento na demanda de combustível durante a temporada de verão nos Estados Unidos.

Preços do petróleo bruto lutam contra o nível de resistência de US$ 60

Os preços do petróleo bruto chegaram a US$ 60 o barril pela primeira vez em quase um ano na sexta-feira (5), mas não conseguiram quebrar esse nível após uma alta que tem os preços parecendo sobrecomprados no curto prazo.