O painel da Opep+ não recomendou mudanças ao pacto atual de cortes de produção (Imagem: REUTERS/Leonhard Foeger)

Os preços do petróleo subiram mais de 2% nesta quinta-feira, revertendo perdas após a Opep e seus aliados terem afirmado que o grupo de produtores vai pressionar países que não cumpriram com seus cortes de oferta.

A aliança de países petrolíferos ainda tem planos de realizar uma reunião extraordinária em outubro caso os mercados de petróleo se enfraqueçam ainda mais.

Após queda no começo da sessão por números baixistas sobre empregos e com a elevação da produção no Golfo do México após o furacão Sally, os índices de referência reverteram o curso e fecharam em alta impulsionados pelos comentários da Opep+.

“Embora ajustes no atual acordo de restrição de oferta não tenham sido propostos pela Opep+ hoje, o grupo de produtores deu a impressão de que não vai varrer os problemas para baixo do tapete”, disse o chefe de mercados de petróleo da Rystad Energy, Bjornar Tonhaugen.

Os futuros do petróleo Brent fecharam em alta de 1,08 dólar, ou 2,56%, a 43,30 dólares por barril.

O petróleo nos EUA encerrou em alta de 81 centavos de dólar, ou 2,02%, a 40,97 dólares por barril. Ambos contratos subiram mais de 4% na quarta-feira.

O painel da Opep+ não recomendou mudanças ao pacto atual de cortes de produção, mas pressionou países como Iraque, Nigéria e Emirados Árabes Unidos para que cortem mais barris para compensar sua produção adicional entre maio e julho.

O período para essas compensações será prorrogado de setembro para até o final de dezembro, segundo três fontes da Opep+.

Fonte: Reuters

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Consumo de etanol em 2021 se aproxima de 8 bilhões de litros

As vendas de etanol seguem em patamares superiores aos vistos no ano passado, quando o país enfrentava uma brusca redução na demanda por combustíveis devido à pandemia de covid-19. Os dados foram divulgados na quarta-feira, 30, pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Os Futuros do Petróleo caíram durante a sessão dos Estados Unidos

Na Bolsa Mercantil de Nova York, Os Futuros do Petróleo em Julho foram negociados na entrega a US$ 69,75 por barril no momento da escrita, caindo 0,43%.

Ralis de petróleo após abertura ruim

Os preços do petróleo começaram as negociações de quarta-feira na Ásia mais baixos, estendendo a queda da última terça-feira, quando um relatório da indústria de um surpreendente aumento nos estoques de petróleo dos EUA interrompeu o aumento dos preços no início do dia.

Vendas de gasolina e etanol caíram 50% nas últimas 4 semanas, diz Cosan

Isolamento social também derrubou em 25% as vendas de diesel da Raízen Combustíveis.