Foto: Reuters

Investing.com – Os preços do petróleo subiram nesta terça-feira (5) após a Rússia supostamente desistir de pressionar por um aumento na produção da commodity a partir de fevereiro, em conjunto com outros grandes exportadores.

A Newswires informou que o vice-primeiro-ministro da Rússia, Alexander Novak, teria concordado em ‘rolar’ o nível atual de produção por mais um mês, em vista de uma queda esperada na demanda das principais economias por conta do ressurgimento do vírus Covid-19 e à disseminação de medidas de lockdown para contê-lo.

A reunião do bloco chamado Opep+ chegou a um impasse na segunda-feira (4), com a Rússia pressionando pelo aumento programado de 500 mil barris por dia, previsto no acordo de dezembro do bloco. No entanto, encontrou forte oposição da Arábia Saudita, que por sua vez foi apoiada pelos outros dois grandes produtores do grupo, Iraque e Emirados Árabes Unidos.

Perto das 11h40, os futuros do petróleo WTI subiram 2,4%, a US$ 48,77 o barril, enquanto o contrato futuro de referência internacional, o Brent, subiu 2,2%, a US$ 52,19 o barril.

Os sinais de medidas de lockdown mais rígidas na Europa vinham surgindo em grande escala nas últimas 24 horas. Na segunda, o Reino Unido disse que a Inglaterra voltaria a um bloqueio total por seis semanas, enquanto os governos federal e estadual da Alemanha concordaram em estender as restrições atuais na maior economia do continente por mais três semanas, até 31 de janeiro.

Fonte: Investing.com

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Alta do etanol na fábrica deverá renovar reajustes na bomba; petróleo pode ajudar

Na semana em que o etanol hidratado ficou mais caro para o…

Na contramão de concorrentes, Petrobras quer deixar 7º maior mercado de combustíveis.

A Petrobras deu mais um passo na quarta-feira (26) em sua estratégia de concentrar seus negócios na exploração e produção e petróleo e gás e em cinco refinarias do Sudeste.