Petróleo sobe, mas estoques devem crescer e plano de cortes no Texas está ‘morto’

Foto: Stephanie Mahe – © Reuters

Investing.com – Os preços do petróleo conseguiram retornar ao território positivo nas negociações de segunda-feira (4) à tarde em Nova York, mas podem ter problemas para permanecer lá depois que um regulador da indústria do Texas declarou “morto” o plano de cortar a produção no maior estado produtor de petróleo do país.

Previsões de que a Administração de Informação de Energia irá reportar crescimentos semanais relativamente altos para petróleo, gasolina e destilados em seu conjunto de dados previsto para quarta-feira também podem pesar na recuperação de mais de 60% observada no índice de referência West Texas Intermediate nas últimas quatro sessões.

“Precisamos de alguns números reais e de alta para apoiar esses ganhos, e até agora não os vi”, disse Gene McGillian, vice-presidente de pesquisa da Tradition Energy em Stamford, Connecticut.

O WTI, negociado em Nova York, subia 95 centavos de dólar, ou 4,8%, a US$ 20,73 por barril às 16h10 (horário de Brasília).

O Brent, índice de referência mundial para o petróleo negociado em Londres, subia US$ 1,15, ou 4,35%, para US$ 27,59.

No ano, o WTI permanece em queda de 67% e o Brent de quase 60%.

Um regulador do Texas que havia proposto um corte de produção de 20% no valor de 1 milhão de barris no estado está agora chamando esses esforços de “mortos” um dia antes de o estado votar a medida, informou a Bloomberg.

O comissário da Texas Railroad Commission, Ryan Sitton, previu em uma entrevista que restringir a produção em um processo conhecido como “pró-racionamento” não conseguiria o apoio necessário da agência na votação sobre o assunto que será realizada em Houston, na terça-feira.

O plano de cortes no Texas foi impulsionado agressivamente por Sitton e duas empresas de perfuração de petróleo no estado – a Parsley Energy (NYSE:PE) e a Pioneer Natural Resources (NYSE:PXD) – em meio ao colapso dos preços do petróleo deste ano forçado pela pandemia de coronavírus.

O plano enfrentou resistência de empresas como Exxon Mobil (NYSE:XOM), Chevron (NYSE:CVX) e Marathon Oil (NYSE:MRO), que argumentaram que as perfuradoras do Texas estavam a caminho de cortar em até 50% as despesas de capital com pesquisa e perfuração de petróleo este ano. As empresas pareciam ter o apoio tácito de outros dois membros do painel da Texas Railroad Commission, o presidente Wayne Christian e Christi Craddick.

Quanto ao relatório semanal da EIA previsto para quarta-feira, um consenso de analistas rastreados pelo Investing.com está prevendo um crescimento bruto de 10,6 milhões de barris para a semana encerrada em 1º de maio, contra a construção de 9 milhões de barris da semana anterior.

Espera-se que os estoques de gasolina tenham aumentado 2,5 milhões de barris, em comparação com o declínio de 3,7 milhões da semana anterior. Enquanto isso, espera-se que os estoques de destilados tenham crescido em 3,6 milhões de barris, ante crescimento de 5 milhões de barris da semana anterior.

Fonte: Investing

Petróleo fecha em baixa, com dólar forte após dados dos EUA e Irã no radar

Os contratos futuros do petróleo fecharam em queda, nesta sexta-feira, 12. A commodity chegou a subir logo no início do dia, mas não mostrou fôlego, com o movimento negativo reforçado após indicadores dos Estados Unidos fortalecerem o dólar. Além disso, a possibilidade de acordo nuclear com o Irã seguia no radar, com potencial para aumentar a oferta do óleo.

Petróleo encaminha ganhos acima de 3%, assegurando melhor marca das últimas três semanas

O preço do petróleo opera em queda nos momentos finais do pregão desta sexta-feira (12), com mercados menos preocupados com interrupções de fornecimento no Golfo do México e potencial de maior oferta vindo do Irã.

Os preços do petróleo caem à medida que as preocupações com a demanda persistem

Os preços do petróleo caíram na manhã de sexta-feira, apagando alguns ganhos, já que os traders continuam cautelosos em comprar o petróleo novamente.