Você gerente de posto bandeirado e revendedor por muitas vezes tentou negociar o seu preço de aquisição de combustíveis com sua distribuidora, e sempre se debateu com justificativas sem pé e nem cabeça.

Abaixo listo 3 erros básicos na hora de negociar o preço de aquisição.

1 – Falta de material comprobatório

Nos dias de hoje e principalmente no mundo dos negócios, o dito ficará pelo dito, e o constatado se torna prova e argumento. Não adianta então na hora de negociar com o assessor, consultor, gerente ou diretor de distribuidora baseado em informações de WhatsApp, de reuniões, você precisa ter gestão baseada em dados legais (ANP/ESALQ/CONFAZ), informações estas que se tratadas e dispostas corretamente evidenciarão a sua expertise e controle sobre os preços de aquisição e sobre o mercado.

2 – Entenda seu contrato

Antes de assinar qualquer contrato com distribuidora, tenha critério e deixe claro a sistemática dos reajustes e qual forma de divulgação e variáveis que serão tratadas em cada reajuste, você revendedor é um consumidor pessoa jurídica possui direitos econômicos assim como qualquer pessoa física.

Não se encante pelo dinheiro que será despejado em seu negócio pela distribuidora, como sempre vemos no inicio deste casamento o preço é bem baixinho, mas em menos de dois meses os reajustes sobretaxados pelas distribuidoras cobrarão indevidamente um retorno que você na hora de negociar seu contrato, se quer ficou sabendo.

3 – Notifique

Existe uma cultura no brasileiro de que notificação extrajudicial é ruim, e digo com toda certeza que é exatamente o contrário, é um direito e pouco praticado.

A notificação extrajudicial é um dispositivo legal que serve basicamente para que todas as partes do contrato possam reclamar e questionar qualquer tipo de problema ou dúvida que exista na relação contratual.

Quando você revendedor percebe e entende que seu preço de aquisição está totalmente fora da média de mercado da sua região, e simplesmente manda uma mensagem de WhatsApp apenas para seu consultor reclamando, você deixa de exercer o seu direito e pior deixa a distribuidora em uma posição confortável e tranquila para que suas equipes de blindagem (Vendas e Marketing) possam dissimular sem registro os seus questionamentos.

Lembre-se se você deixar de pagar uma Nota Fiscal se quer para distribuidora, ela não vai pensar duas vezes para notificar o seu posto.

Portanto, tenha a cultura de notificar extrajudicialmente qualquer questão contratual do seu posto, e evidencie que você possui gestão jurídica e argumentativa sobre sua relação com a distribuidora.

Valêncio Consultoria em Combustíveis, possui profissionais especializados que auxiliam o seu negócio nas questões comerciais de compra de combustíveis, análises de reajustes e procedimentos jurídicos, tudo em prol de proporcionar a você revendedor gestão especializada sobre os preços de compra dos combustíveis para o seu posto.

Fonte: Portal Brasil Postos
Colunista: Bruno Valêncio Diretor Consultor
Preços & Reajustes de Combustíveis

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Estoque menor de etanol exigirá “calibragem” nos preços para tirar um pouco da competitividade

A gasolina correndo mais tempo, ou mesmo virando o ano, na faixa…

Baixa competição entre distribuidoras impede gasolina mais barata, diz ANP

O predomínio de três grandes empresas no mercado de combustíveis – BR…

CNPE aprova Resolução para promover livre concorrência nas atividades de abastecimento de combustíveis no País

O Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), aprovou hoje, 4, em sua…