Preço da gasolina nos postos sobe pela 3ª semana seguida, aponta ANP

O valor por litro do combustível subiu 1,2%, de R$ 4,243 para R$ 4,294 na semana encerrada no dia 16 de março.

No acumulado no ano, o preço médio da gasolina nos postos ainda têm queda de 0,8%. No final do ano passado, o preço médio do combustível nos postos estava em R$ 4,330. Antes destas 3 semanais seguidas de alta, foram 18 quedas consecutivas.

O preço do diesel também subiu nas bombas na semana passada. O valor médio por litro avançou 1,08%, de R$ 3,497 para R$ 3,535.

Já o preço por litro do etanol subiu 2,06% no período, de R$ 2,902 para R$ 2,962.

Preço nas refinarias em alta
Nas refinarias, o preço médio da gasolina já foi reajustado pela Petrobras 7 vezes somente neste mês de março. O valor do litro subiu 0,5% nesta terça-feira (19), de R$ 1,8235 para R$ 1,8326.

No mês, o preço já subiu 10,8% nas refinarias. Em 2019, o avanço chega a 21,47%.

Já o preço do diesel foi reduzido será reduzido 1,52% nas refinarias a partir desta quarta (20), de R$ 2,1446 para R$ 2,1120. No ano, porém, ainda acumula alta de 16,7%.

Os reajustes quase que diários são praticados pela Petrobras desde meados de 2017 e visam acompanhar a paridade internacional, de modo a garantir participação à petroleira no mercado interno. No ano passado, após forte volatilidade, a empresa anunciou um mecanismo de hedge para aperfeiçoar essa sistemática, podendo congelar os valores nas refinarias por certo período de tempo, se necessário.

Nas bombas dos postos de combustíveis, contudo, tais reajustes da Petrobras não estão sendo integralmente acompanhados, segundo acompanhamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

O repasse de preços ao consumidor final depende da estratégia comercial das distribuidoras e revendedoras, do valor do etanol anidro misturado à gasolina, dentre outros fatores.

Fonte: G1 Economia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Etanol segue assombrado por Petrobras (PETR4) desidratar mais a gasolina, após o diesel

O etanol hidratado foi poupado no final da semana passada, quando a Petrobras (PETR4) apenas diminui o preço do diesel. Mas seguiu e segue assombrado pela possibilidade real de que a estatal reduza a gasolina também.

Goldman Sachs reduz projeções para petróleo no curto prazo, mas segue vendo preços acima de US$ 100 o barril

Os preços do petróleo brent tiveram queda de 25% desde o início de junho, fechando a última sexta-feira (5) na casa dos US$ 94 o barril, sendo puxados recentemente por uma crescente gama de preocupações: recessão, política de Covid-zero da China e setor imobiliário, liberação de reservas estratégicas dos EUA e produção russa se recuperando bem acima das expectativas.

ANP rejeita aumento de estoques mínimos de diesel, em alívio para distribuidoras

A diretoria da ANP rejeitou nesta sexta-feira, 5, uma proposta de aumento de estoques mínimos de diesel A (puro) S10 entre setembro e novembro para mitigar riscos de desabastecimento em meio à oferta global apertada do combustível, mas aprovou um reforço do monitoramento do suprimento nacional.