Preço da gasolina tem redução em postos em SP, mostra pesquisa do Procon

O Procon-SP (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor) realizou um monitoramento em postos de combustível da capital paulista e no interior do estado de São Paulo e constatou uma queda média de R$ 0,30 por litro no preço da gasolina comum em 477 postos.

O monitoramento checou os preços em 1.202 postos para a análise e foi feito antes do anúncio da redução do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) da gasolina de 25% para 18% feito pelo governo de São Paulo. No resultado parcial, entre os dias 28 e 29, foram comparados os valores em 477 postos.

O maior valor encontrado foi de R$ 7,99 no Bairro Jardins. O menor, de R$ 5,89, foi na Vila Guilherme, ambos na capital paulista. Já a maior redução de preço aconteceu no interior do estado, em Presidente Prudente, com queda de R$ 0,92, e a menor em Glicério, R$ 0,01. O valor médio ficou em R$ 6,67.

A avaliação dos preços da gasolina comum, que foi determinada pelo governo do estado, continua e os próximos valores ainda devem ser divulgados em breve, de acordo com o Procon-SP.

Etanol segue assombrado por Petrobras (PETR4) desidratar mais a gasolina, após o diesel

O etanol hidratado foi poupado no final da semana passada, quando a Petrobras (PETR4) apenas diminui o preço do diesel. Mas seguiu e segue assombrado pela possibilidade real de que a estatal reduza a gasolina também.

Goldman Sachs reduz projeções para petróleo no curto prazo, mas segue vendo preços acima de US$ 100 o barril

Os preços do petróleo brent tiveram queda de 25% desde o início de junho, fechando a última sexta-feira (5) na casa dos US$ 94 o barril, sendo puxados recentemente por uma crescente gama de preocupações: recessão, política de Covid-zero da China e setor imobiliário, liberação de reservas estratégicas dos EUA e produção russa se recuperando bem acima das expectativas.

ANP rejeita aumento de estoques mínimos de diesel, em alívio para distribuidoras

A diretoria da ANP rejeitou nesta sexta-feira, 5, uma proposta de aumento de estoques mínimos de diesel A (puro) S10 entre setembro e novembro para mitigar riscos de desabastecimento em meio à oferta global apertada do combustível, mas aprovou um reforço do monitoramento do suprimento nacional.