Os preços médios do etanol hidratado subiram em 13 Estados e no Distrito Federal na semana encerrada no sábado, 14, ante o período anterior, de acordo com levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) compilado pelo AE-Taxas. A cotação do biocombustível caiu em outros 11 Estados, enquanto no Amapá e em Roraima o houve apuração.

Nos postos pesquisados pela ANP em todo o País, o preço médio do etanol subiu 0,66% na semana ante a anterior, de R$ 3,051 para R$ 3,071 o litro.

Em São Paulo, principal Estado produtor, consumidor e com mais postos avaliados, a cotação média do hidratado ficou em R$ 2,930 alta de 0,58% ante a semana anterior (R$ 2,913).

Na Bahia, o biocombustível registrou a maior alta porcentual na semana, de 6,36% de R$ 3,115 para R$ 3,313. A maior queda semanal, de 3,47%, foi verificada em Santa Catarina (de R$ 3,470 para R$ 3,780).

O preço mínimo registrado na semana passada para o etanol em um posto foi de R$ 2,559 o litro, em São Paulo, e o menor preço médio estadual, de R$ 2,930, também foi registrado em São Paulo.

O preço máximo individual, de R$ 4,799 o litro, foi verificado em um posto do Rio Grande do Sul. Os gaúchos também tiveram o maior preço médio, de R$ 4,052.

A ANP retomou a divulgação do levantamento de preços de combustíveis automotivos em sua página na internet no dia 23 de outubro. Ainda não há, portanto, dados suficientes para comparação mensal dos preços do etanol hidratado nos postos pesquisados no País.

Etanol continua competitivo com gasolina apenas em 4 Estados brasileiros
Os preços médios do etanol na semana encerrada no sábado, 14, mostraram-se vantajosos em comparação com os da gasolina em quatro Estados brasileiros – São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso e Goiás – todos grandes produtores do biocombustível. O levantamento é da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), compilado pelo AE-Taxas, e considera que o etanol de cana ou de milho, por ter menor poder calorífico, tenha um preço limite de 70% do derivado de petróleo nos postos para ser considerado vantajoso.

Em Mato Grosso, o hidratado é vendido, em média, por 68,66% do preço da gasolina, em Goiás a 67,17%, em Minas Gerais a 68,66% e em São Paulo, a paridade ficou em 69,98%.

Na média dos postos pesquisados no País, a paridade é de 70,31% entre os preços médios de etanol e gasolina, desfavorável ao biocombustível.

Fonte: Por Estadão Conteúdo

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Petróleo fecha no maior valor desde março com dólar fraco

Os contratos futuros de petróleo fecharam em alta nesta terça-feira, 15, impulsionados…

Replan refina maior volume de petróleo na pandemia após volta de duas unidades em junho

De acordo com a ANP, planta em Paulínia processou 1,4 bilhão de litros no mês; apesar da melhora em 2020, volume é 12,8% menor que o registrado no mesmo período do ano passado.

Petróleo atinge novas mínimas após Rússia discordar de proposta da Opep

Investing.com – Os futuros do petróleo desabaram na sexta-feira (6) após a…

Abiove destaca biodiesel 20% mais barato frente a alta de 15% no diesel mineral

Após o encerramento do 77º Leilão de Biodiesel da ANP (L77), a…