1 | Preço médio da gasolina caiu 0,07%, já o do etanol subiu 0,38%

2 | Na média nacional, o valor de comercialização do renovável correspondeu a 66,3% do preço do combustível fóssil

3 | Em Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, São Paulo e Paraná, o consumo de etanol é economicamente vantajoso para os motoristas

4 | O preço do etanol nos postos aumentou em 12 estados, e diminuiu em 14 e no Distrito Federal

5 | Valor do etanol também subiu nas usinas de Goiás, São Paulo e Mato Grosso


Depois de um mês de aumentos no preço da gasolina nos postos do país, o combustível apresentou uma pequena queda. Como o etanol seguiu com a tendência de crescimento – por mais que a um índice pequeno –, o biocombustível registrou uma diminuição de competitividade.

Na semana de 13 a 19 de outubro, de acordo com os dados divulgados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), a relação entre os preços dos combustíveis foi de 66,3% – ainda há uma distância segura do limite comercialmente estabelecido em 70%, conforme observado desde abril.

O aumento de 0,45% no indicador foi consequência da queda de 0,07% no preço da gasolina, que passou de R$ 4,382 por litro para R$ 4,379/l. Já o valor médio do etanol subiu 0,38%, passando de R$ 2,893/l para R$ 2,903/l.

Variação nos estados

De acordo com a ANP, o preço do etanol nos postos aumentou em 12 estados, diminuindo em 14 e no Distrito Federal.

Com as variações observadas nos últimos meses, o biocombustível segue competitivo apenas em Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, São Paulo e no Paraná. Dentre estes estados, apenas em Goiás, o biocombustível apresenta um valor médio acima de R$ 3,00 nas bombas.

Em São Paulo, estado que mais produz e consome etanol no país, o etanol apresentou aumento de 0,75%, enquanto a gasolina subiu 0,24%. Assim, a relação entre os preços foi de 63,5%, favorável para o biocombustível e menor do que na semana anterior.

Já Mato Grosso apresentou uma queda de 0,66% para o etanol e segue com o menor valor médio do país (R$ 2,544/l). Como a gasolina caiu 0,11%, a relação entre eles foi para 56,7%, representando o biocombustível mais competitivo do país.

Em Minas Gerais, o etanol caiu 0,1% e a gasolina, 0,34%. Desta forma, a relação entre eles subiu para 63,5%, ainda favorável ao biocombustível.

Já Goiás registrou o aumento de 0,39% para o renovável, que chegou a R$ 3,082/l, e de 0,22% para a gasolina. Assim, a relação entre eles foi para 67,1%, ainda competitiva para o renovável.

No Paraná, o etanol teve um aumento de 0,98% e a gasolina, de 0,39% o que fez com que a relação entre eles ficasse em 69,5%, cada vez mais próxima do limite considerado favorável para o biocombustível.

O estado apresenta o segundo indicador mais alto dentre os seis grandes estados produtores – Mato Grosso do Sul, com índice de 82%, não apresenta etanol competitivo.

Usinas

Nas usinas de Goiás, São Paulo e Mato Grosso, o renovável novamente apresentou aumentos.

O Indicador Cepea/Esalq do etanol hidratado no estado paulista mostra que sua cotação subiu 0,18%. Mato Grosso, por sua vez, teve aumento de 4,11% na cotação do etanol hidratado em relação à última análise. E em Goiás, a cotação do etanol nas usinas subiu 1,02% entre as duas últimas semanas.

Fonte: novaCana.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Bolsonaro: governo não vai interferir em política de preço de combustíveis

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) declarou hoje após reunião no Ministério de Minas…

Raízen, Ultrapar, Sinopec e Mubadala na 2ª fase da disputa por refinarias da Petrobras

A Petrobras selecionou a chinesa Sinopec, a companhia investidora de Abu Dhabi…

Preços dos combustíveis têm alta no início de janeiro, diz ANP

Valor médio da gasolina por litro para o consumidor subiu 0,07%, para R$ 4,558, na semana encerrada em 4 de janeiro. Foi o décimo aumento seguido.

Preços dos combustíveis interrompem sequência de queda e voltam a subir nos postos, diz ANP

Valor médio do litro da gasolina para o consumidor subiu 0,8%, para R$ 3,835.