Os preços da gasolina e do diesel recuaram na semana, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (31) pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

A queda ocorre no momento em que a Petrobras vem reduzindo os preços dos combustíveis nas refinarias. Em janeiro, já foram três cortes.

De acordo com o levantamento da ANP, o valor médio do litro da gasolina para o consumidor recuou 0,30%, para R$ 4,580, nesta semana. O preço do litro do diesel teve queda de 0,58% no período, para R$ 3,778, em média.

Já o litro do etanol subiu 0,09%, para R$ 3,250.

Os valores são uma média calculada pela ANP com dados coletados em postos em diversas cidades pelo país. Os preços, portanto, variam de acordo com a região.

Preços nas refinarias

Nesta sexta-feira, a Petrobras reduziu o preço médio da gasolina e do diesel nas refinarias em 3%.

Foi a terceira vez que a estatal cortou o preço dos combustíveis em janeiro. Na semana passada, a empresa diminuiu o preço médio da gasolina e do diesel nas refinarias em 1,5% e 4,1%, respectivamente. Em 14 de janeiro, promoveu um corte de 3%.

A estatal tem reiterado que sua política para ambos os combustíveis segue o princípio da paridade de importação, que leva em conta preços no mercado internacional mais os custos de importadores, como transporte e taxas portuárias, com impacto também do câmbio.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Ultra e Raízen devem entrar na briga por compra de refinarias da Petrobrás

30/10/2019 – A Petrobrás prevê concluir em março de 2020 a venda…

Petrobras recebe ofertas por refinaria da Bahia na quinta-feira, dizem fontes

A Petrobras espera receber na quinta-feira ofertas vinculantes para a segunda maior refinaria do Brasil.

Queda do petróleo afetará Petrobras, setor de etanol e arrecadação do governo

Os preços do petróleo estão desabando no mercado internacional após o racha na Opep…