Postado em 25 de Setembro de 2020

Além disso, a demanda interna pelo biocombustível volta a crescer, com muitas distribuidoras ativas nas compras, com o objetivo de repor seus estoques.

A tendência é de alta dos preços do etanol, diante da recuperação das cotações do petróleo e do gradual reaquecimento da demanda interna pelo biocombustível, segundo aponta análise feita pela Cogo – Inteligência em Agronegócio.

O preço do etanol hidratado FOB usinas de São Paulo está cotado, em média, a R$ 1,76/litro (sem ICMS e sem PIS/Cofins), registrando uma alta de 1,9% nos últimos 30 dias, mas ainda com uma baixa acumulada de 14,8% em 2020. O etanol anidro hidratado FOB usinas de São Paulo está cotado a R$ 2,08/litro (sem PIS/Cofins), registrando uma alta de 7,3% nos últimos 30 dias, mas com retração acumulada de 7,0% entre janeiro e a parcial de setembro de 2020.

A demanda por etanol tem se aquecido a cada semana, tendo em vista a maior mobilidade da população, com muitas distribuidoras ativas nas compras, no intuito de repor os estoques do biocombustível. O volume de etanol hidratado comercializado avançou 166% nos últimos sete dias, sendo a maior quantidade desde o início da safra 2020/2021 e, em relação à mesma semana de 2019, aumentou 54%.

O Brasil renovou a cota importação do etanol dos Estados Unidos de 187,5 milhões de litros, sem tarifa, por 90 dias e, em troca, obteve cota adicional de exportação de 80 mil toneladas de açúcar, totalizando 310 mil toneladas por ano, exclusivamente para usinas da Região Nordeste.

Fonte: Canal Rural

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

O que Esperar dos Maiores Produtores de Petróleo do Mundo em Relação aos Cortes

Os preços do petróleo, em particular os do West Texas Intermediate (WTI), continuam extremamente…

Ministra volta a defender aumento da Cide da gasolina para tentar ajudar setor de etanol

Cide é um tributo federal usado para estabilizar preço da gasolina. Segundo Tereza Cristina, houve queda na procura por etanol e eventual aumento da Cide pode aumentar busca.

ANP: consumo de combustíveis leves cai 30% em abril

Dados publicados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e compilados pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA) apontam houve uma retração de 30,2% no consumo de combustíveis.

ANP não realiza levantamento de preços nos postos há mais de um mês

Previsões iniciais de retorno da divulgação dos dados, em 14 de setembro, não foram cumpridas