Imagem: © Reuters.

Investing.com – Os preços do petróleo bruto aumentaram acentuadamente na terça-feira (6), enquanto esperanças de um pacote de estímulo fiscal dos EUA e uma recuperação sustentada na demanda combinada com interrupções de fornecimento relacionadas com greves e clima empurraram os preços do West Texas Intermediate acima de US$ 40 o barril.

Às 12h35 (horário de Brasília), os futuros do petróleo dos EUA subiam 3,7%, a US$ 40,66 o barril, a maior alta em mais de uma semana. O blend de referência internacional Brent também tinha alta de 3,1%, a US$ 42,57 o barril.

O tom do mercado até agora nesta semana se beneficiou de notícias de que o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, e a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, estão fechando um acordo sobre novos estímulos para a economia. Também foi ajudado por uma pesquisa de negócios mais forte do que o esperado do Institute for Supply Management, que alimentou esperanças de que a demanda dos EUA possa continuar reduzindo os estoques que se acumularam na primeira metade do ano.

Patrick de Haan do GasBuddy disse via Twitter que os dados do GasBuddy mostraram que a demanda por gasolina nos EUA na segunda-feira aumentou 3,6% na semana e está em seu nível mais alto desde o Dia do Trabalho.

Os futuros de gasolina RBOB subiam 3%, para US$ 1,2305 o galão.

O American Petroleum Institute publicará sua avaliação semanal dos estoques de petróleo bruto dos EUA às 17h30, com as estimativas aparentemente inclinadas para outra queda nos estoques, o que aumentaria a queda inesperadamente forte da semana passada de 831.000 barris.

Os dados do governo, divulgados na quarta-feira, devem mostrar um aumento de 400.000 barris nos estoques de petróleo, mas uma queda de 900.000 nos estoques de gasolina. O governo dos EUA também deve divulgar sua última previsão de energia de curto prazo no decorrer do dia.

O equilíbrio entre oferta e demanda também está sendo alterado pelo Furacão Delta e pela Tempestade Tropical Gamma, que fecharam a produção no Golfo do México.

O Delta “interromperá uma parte significativa da produção de petróleo e gás do Golfo do México e criará uma ameaça para a ‘linha de refinarias’ dos EUA e inundações na encharcada Louisiana”, Phil Flynn, analista do PRICE Futures Group, escreveu em um post para Investing.com.

A BP (NYSE:BP), a BHP e a Hess (NYSE:HES) fecharam pelo menos parte de sua produção no Golfo.

Além disso, uma greve envolvendo trabalhadores noruegueses do petróleo deixou agora cerca de 8% da produção de petróleo e gás do país temporariamente fora do ar.

Fonte: Investing.com

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Preços da gasolina e do diesel têm 10ª semana de alta nos postos, diz ANP

Litro da gasolina foi comercializado por R$ 4,203 nos postos, com avanço semanal de 0,67%, de acordo com a agência.

ANP alerta sobre riscos da greve na Petrobras; empresa não vê impacto

RIO DE JANEIRO (Reuters) – O diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo,…

Petróleo volta para US$ 40 junto com novo recuo da gasolina e tira conforto dos preços do etanol

O petróleo fechou em forte recuo na banda dos US$ 40 o…