Preços do petróleo caem por crescentes temores de 2ª onda de coronavírus — Foto: Reuters

Os preços do petróleo caíam nesta segunda-feira (15), à medida que novas infecções por coronavírus na China, Japão e Estados Unidos aumentavam preocupações sobre uma nova onda do vírus e seus impactos sobre a recuperação da demanda por combustíveis.

O petróleo Brent recuava 0,41 dólar, ou 1,06%, a US$ 38,32 por barril, às 8h20 (horário de Brasília). O petróleo dos Estados Unidos caía 0,75 dólar, ou 2,07%, a US$ 35,5 por barril.

“Uma nova onda de casos vai certamente levantar preocupações de que a recuperação na demanda pode levar mais tempo do que se pensava inicialmente”, disse o chefe de estratégia de commodities da ING, Warren Patterson.

Após quase 2 meses sem novas infecções, autoridades em Pequim registraram 79 casos de coronavírus ao longo dos últimos quatro dias.

Nos EUA, os casos também começaram a aumentar, e mais e 25 mil novos casos foram registrados no sábado, à medida que mais estados registraram infecções e hospitalizações.

Dados econômicos da China também não conseguiram reanimar as expectativas. A produção industrial da China em maio cresceu 4,4% na comparação anual, mas a expansão ficou abaixo do esperado, sugerindo que a segunda maior economia do mundo ainda está lutando para voltar à normalidade.

A taxa de processamento em refinarias chinesas, por outro lado, avançou 8,2% na comparação anual, para cerca e 13,6 milhões de barris por dia (bpd).

“Em geral, com o suprimento se mantendo mais ou menos dentro da trajetória esperada, a demanda será agora o fator chave para os preços”, disse o chefe de mercados de energia da Rystad Energy, Bjornar Tonhaugen.

Fonte: G1

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Demanda por etanol no Brasil cai 49% em abril, diz ministro; por gasolina recua 35%

O consumo de combustíveis em geral teve forte retração no Brasil em abril.

Valor do ICMS dos combustíveis pode ser fixado pela câmara

O Projeto de Lei Complementar (PLP) 10/20 quer limitar a cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre os principais combustíveis. Intenção é deixar o preço de gasolina, etanol e diesel mais justo.

Gasolina cai 7,1% em abril após um mês de isolamento social; diesel cede 5,4%

Apesar da redução, preço dos combustíveis ainda está bem abaixo da queda praticada pela Petrobras nas refinarias, que já chega a 50%

Acordo entre Opep e Rússia para cortes de produção desmorona; petróleo despenca

VIENA (Reuters) – A lua de mel entre a Organização dos Países…