Os contratos futuros do petróleo Brent fecharam a sessão cotados a 68,28 dólares por barril (Imagem: 3R Petroleum/Divulgação)

O petróleo fechou em leve alta nesta sexta-feira, mesmo com o agravamento da crise da Covid-19 na Índia, e emplacou o segundo ganho semanal consecutivo, frente ao cenário de otimismo com uma recuperação econômica global.

Os contratos futuros do petróleo Brent fecharam a sessão cotados a 68,28 dólares por barril, enquanto o petróleo dos Estados Unidos (WTI) fechou a 64,90 dólares o barril, ambos com valorização de 0,19 dólar, ou 0,3%.

As duas referências avançaram mais de 1% no acumulado da semana, a segunda consecutiva de ganhos. A flexibilização de restrições relacionadas à Covid-19 nos EUA e na Europa, a recuperação de operações fabris e a vacinação contra o coronavírus abriram caminho para uma retomada na demanda por combustíveis.

“Os preços do petróleo podem até ter uma segunda semana positiva consecutiva, mas não é nada que dê aos operadores do mercado de energia expectativas de que o petróleo vá superar o intervalo limitado em que vem operando. O cenário a curto prazo permanece confuso”, disse Edward Moya, analista sênior de mercado da OANDA.

Na China, dados mostraram que o crescimento das exportações acelerou de forma inesperada em abril, enquanto uma pesquisa particular apontou para uma forte expansão na atividade do setor de serviços.

No entanto, as importações de petróleo da maior compradora global da commodity recuaram 0,2% em abril em comparação anual, para 40,36 milhões de toneladas, ou 9,82 milhões de barris por dia, mínima desde dezembro.

Fonte: Reuters

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Diesel, gasolina e etanol caem pela 4ª semana consecutiva nos postos

Os preços do óleo diesel, gasolina e etanol nos postos de combustíveis do Brasil tiveram leve retração nesta semana, a quarta consecutiva de baixa, de acordo com dados publicados nesta sexta-feira pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Distribuidoras obtêm mandado de segurança para redução de metas do RenovaBio em 25%

BrasilCom alega que companhias tiveram apenas três meses para adquirir créditos e, portanto, meta deve ser diminuída proporcionalmente

Dependência do sucesso do CBIO é proporcional à concentração da distribuição de combustíveis

Pelo rateio de metas dos Créditos de Descarbonização (CBios), que alcançarão 24,86 milhões em 2021, vê-se o poderio concentrador do mercado de distribuição de etanol hidratado e de combustíveis em geral, mas também a capilaridade que três grupos possuem de fazer chegar o abastecimento em todas as partes do Brasil.