O petróleo Brent recuava 0,73 dólar, ou 1,07%, a 67,66 dólares por barril, às 8:5 (Imagem: pixabay)

Diversos países europeus suspenderam o uso da vacina para Covid-19 da AstraZeneca devido a preocupações com possíveis efeitos colaterais. A Alemanha está vendo um aumento nos casos de coronavírus, enquanto a Itália impôs um “lockdown” nacional na Páscoa.

O petróleo Brent recuava 0,73 dólar, ou 1,07%, a 67,66 dólares por barril, às 8:50 (horário de Brasília). O petróleo dos Estados Unidos caía 0,59 dólar, ou 0,91%, a 64,21 dólares por barril.

“A suspensão (da vacina) não fará nenhum bem à economia e à recuperação do bloco (europeu), disse Stephen Brennock, da corretora PVM. “A esperança agora é que a Europa consiga colocar sua lenta campanha de vacinação de volta nos trilhos.”

O petróleo também foi afetado negativamente por relatório da Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês) , que disse que um super-ciclo do petróleo é improvável e que a demanda não deve retomar níveis pré-pandemia até 2023, podendo ainda atingir seu pico antes do que se imaginava.

“O relatório da IEA disparou a ação por parte dos ´traders´ de petróleo”, disse Naeem Aslam, da Avatrade. “Nós vimos algum movimento de venda.”

Fonte: Reuters

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Petrobras reduz preços do diesel e gasolina em 5% nas refinarias

A Petrobras informou nesta terça-feira que reduzirá os preços médios do diesel e da gasolina em 5% nas suas refinarias a partir de quarta-feira.

Os Futuros do Petróleo subiram durante a sessão dos Estados Unidos

Na Bolsa Mercantil de Nova York, Os Futuros do Petróleo em Maio foram negociados na entrega a US$ 61,52 por barril no momento da escrita, subindo 0,90%.

Petrobras exporta recorde de petróleo em abril apesar da crise de demanda global

Estatal registrou marca de 1 milhão de barris por dia, superando recorde anterior de 771 mil barris por dia, alcançado em dezembro de 2019.

Em escalada, Arábia Saudita anuncia elevação da produção de petróleo em 25%

Esse é o novo episódio de uma longa e amarga guerra de preços entre Rússia e Arábia Saudita