© Reuters. Bombeamento de petróleo em Odessa, Texas (EUA)

NOVA YORK (Reuters) – Os preços do petróleo terminaram esta segunda-feira praticamente estáveis, à medida que expectativas de uma aceleração na demanda ainda neste ano ajudaram a conter o amplo “sell-off” visto na semana passada, embora novos lockdowns relacionados ao coronavírus na Europa tenham mantido as cotações sob pressão, pois tornam menos provável uma recuperação rápida.

O petróleo Brent fechou em alta de 0,09 dólar, ou 0,1%, a 64,62 dólares por barril, enquanto o petróleo dos Estados Unidos (WTI) para entrega em abril avançou 0,13 dólar, ou 0,2%, para 61,55 dólares o barril, em seu vencimento.

Os contratos futuros mais ativos do WTI, para entrega em maio, tiveram ganho de 0,12 dólar, ou 0,2%, e terminaram o dia cotados a 61,56 dólares/barril.

Ambos os contratos recuaram mais de 6% na semana passada, após meses de ganhos constantes na esteira de cortes de produção e expectativas de recuperação da demanda.

“O petróleo teve sua pior semana neste ano, diante do aumento das preocupações com uma explosão de casos de Covid-19 na Europa”, disse o banco holandês ING em nota. “Isso ocorre em momento em que há sinais claros de fraqueza no mercado físico do petróleo”.

Os mercados físicos da commodity têm sido pressionados pelo início de atividades de manutenção em refinarias em todo mundo, incluindo na China e nos EUA.

(Reportagem adicional de Noah Browning e Aaron Sheldrick)

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

General Luna deve assumir as rédeas da Petrobras

Para muitos investidores, a indicação do general da reserva Joaquim Silva e Luna para a presidência da Petrobras (PETR4) foi um movimento inesperado e mal recebido.

Preço do petróleo atinge nível mais alto desde 13 de abril, com procura a mostrar sinais de recuperação

Em Londres, barril do tipo Brent é negociado por volta de US$ 32.

Biodiesel e etanol evitam centenas de mortes ao ano em SP por menos emissões, aponta estudo

A adição obrigatória de biodiesel ao diesel e etanol anidro à gasolina evita centenas de mortes por ano na região metropolitana de São Paulo por meio da redução da emissão de particulados.