Imagem: Reuters

Investing.com – Os preços do petróleo bruto subiam acentuadamente novamente na sexta-feira (26), com o mercado movimentando o preço em um aumento acentuado da incerteza sobre o fornecimento global devido ao bloqueio do Canal de Suez.

Nas últimas 24 horas, aumentaram as notícias de que as companhias de navegação começaram a redirecionar os navios-tanque para longe do Canal de Suez e ao redor do Cabo da Boa Esperança, no extremo sul da África. Esses desvios adicionam cerca de 16 dias ao tempo de navegação para cargas que vão do Golfo a Rotterdam, o porto mais importante da Europa, ou 12 dias para uma carga que vai do Golfo a Nova York.

O sentimento no mercado dos EUA também foi sustentado pela divulgação dos números mais baixos de pedidos de auxílio-desemprego em um ano na quinta-feira e pelo anúncio do presidente Joe Biden de um cronograma acelerado para vacinar os americanos contra a Covid-19, um pré-requisito fundamental para o retorno ao normal na vida econômica e social.

Às 12h38 (horário de Brasília), os futuros do petróleo dos EUA subiam 4,4%, a US$ 61,12 o barril, enquanto o petróleo Brent, a referência global, subia 4,1%, a US$ 64,48 por barril.

O mercado ficou de pernas para o ar com o bloqueio do Canal de Suez, que transporta mais de um décimo do comércio de petróleo bruto marítimo do mundo em um dia normal. Além de cargas de petróleo bruto, o bloqueio também está segurando cargas de produtos refinados – como nafta, a principal matéria-prima para plásticos – e gás natural liquefeito. Isso está causando uma volatilidade descomunal nos mercados asiáticos, que são o destino final da maioria dessas cargas.

A Bloomberg informou que quase 300 navios ainda estavam esperando para entrar no canal na sexta-feira, um aumento em relação aos 185 na quinta-feira. Cerca de um terço deles transportava petróleo bruto ou outros produtos energéticos.

Até certo ponto, a volatilidade nos mercados locais de petróleo pode ser compensada pelos estoques, que ainda estão acima das médias históricas. Além disso, a principal rota comercial do Golfo Pérsico para a China e a Índia não foi afetada pelo bloqueio. As esperanças de um aumento temporário na produção dos principais produtores do Golfo foram frustradas na sexta-feira, no entanto, depois que a Arábia Saudita disse à Índia para reduzir seus estoques. Um ministro do governo indiano chamou a ação saudita de “pouco diplomática”.

A Reuters também informou que a Abu Dhabi National Oil Company (AD:ADNOCDIST) reduziu o fornecimento a clientes asiáticos nesta semana, ciente da necessidade de ser vista em conformidade com o pacto da Opep+ sobre restrição de produção quando o bloco se reunir novamente na próxima semana.

Além disso, analistas do Goldman Sachs disseram que a recente reprecificação em reação à última onda de casos Covid-19 na Europa, Índia e Brasil provavelmente foi exagerada. Damien Courvalin e sua equipe disseram que ainda esperam que a demanda global aumente em cerca de 4,5 milhões de barris por dia entre o primeiro e o terceiro trimestres do ano.

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Em carta a Guedes, Abrava pede isenção de PIS/Cofins e Cide sobre combustíveis

A Associação Brasileira dos Condutores de Veículos Automotores (Abrava) encaminhou ofício ao ministro da Economia, Paulo Guedes, pedindo que sejam zerados PIS/Cofins e Cide sobre os combustíveis.

Vendas de diesel por distribuidoras no Brasil recuam 2,5% em fevereiro, diz ANP

As vendas de diesel pelas distribuidoras no Brasil caíram 2,5 em fevereiro, ante o mesmo mês do ano passado, para 4,4 bilhões de litros, apontaram dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) nesta quarta-feira.

Consumo de combustíveis fica estável em dezembro

Dados publicados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), e compilados pela UNICA, apontam que o consumo de combustíveis em dezembro foi de 5,072 bilhões de litros de gasolina equivalente pela frota de veículos leves (ciclo Otto).

Estoques de petróleo sobem inesperados 1,28 milhão de barris, segundo EIA

Os estoques de petróleo dos EUA aumentaram inesperadamente na última semana, disse a Administração de Informação de Energia (EIA, na sigla em inglês) na quarta-feira (24).