A Petrobras registrou, em julho, um aumento de 2,8% na sua produção de petróleo no Brasil, em relação a junho. De acordo com dados da Agência Nacional de Petróleo (ANP), a estatal produziu, em média, 2,297 milhões de barris diários — terceira maior média mensal da história da companhia, atrás apenas dos volumes produzidos em janeiro de 2020 (2,32 milhões de barris/dia) e novembro de 2019 (2,33 milhões de barris/dia). Na comparação com julho de 2019, o aumento na produção foi de 11,8%.

— Foto: ANP/Divulgação

Os números da ANP mostram que a petroleira vem melhorando o seu desempenho operacional mês a mês, desde maio, diante da recuperação da demanda pela commodity no mercado global. A contração do consumo de petróleo atingiu entre abril e maio o seu momento mais crítico, no mundo, diante da propagação das medidas de isolamento social, na ocasião, para conter a pandemia da covid-19.

Ainda segundo a ANP, a produção de gás natural da companhia também cresceu 2,8% em julho ante junho, para 99,924 milhões de metros cúbicos diários. Somando-se a produção de óleo e gás, o volume produzido pela empresa totalizou 2,926 milhões de barris diários de óleo equivalente (BOE/dia), o que também representa uma alta de 2,8% na comparação com o mês anterior.

ANP e Petrobras têm metodologias diferentes para contabilizar a produção de petróleo — a estatal, por exemplo, considera os líquidos de gás natural, enquanto a agência inclui o condensado, mas não o óleo de xisto produzido em São Mateus, no Paraná. De todo modo, os dados do órgão regulador dão um bom indicativo do que se esperar do relatório de produção da estatal, divulgado trimestralmente.

Para os próximos meses, contudo, a perspectiva é que a estatal tenha dificuldades para manter os níveis de produção mais elevados. Isso porque a empresa espera retomar, a partir de setembro, as paradas para manutenção das plataformas. A companhia esperava, inicialmente, fazer grandes paradas no primeiro semestre, mas as restrições de embarque impostas pela pandemia fizeram a petroleira adiar os planos. A expectativa é que o pico de paradas ocorra no quarto trimestre.

Fonte: G1 – Por Valor Online

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Distribuidoras de combustíveis pedem à ANP redução na mistura de biodiesel

O percentual obrigatório é de 12% de biocombustível no óleo diesel, mas, com oferta baixa nos leilões, setor acredita que faltará produto para adicionar no combustível

ANP deve regulamentar venda direta de etanol até outubro, diz ministro

Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) aprovou em 4 de junho uma resolução com diretrizes para essas vendas diretas.

Petrobras corta preço da gasolina em 15%; diesel não terá ajuste

É a oitava redução no ano, mas repasses ao consumidor ainda são pequenos

Petrobras completa um mês sem reajustar diesel, maior período de estabilidade

A Petrobras completou no último sábado um mês sem reajustar os preços…