(Imagem: Facebook/Raízen)

O grupo Raízen anunciou nesta segunda-feira que a Raízen Combustíveis tem a intenção de protocolar perante a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), nos próximos dias, seu pedido de registro de oferta pública de distribuição de ações preferenciais (PN) com listagem no Nível 2 da B3, a ser realizada no Brasil, incluindo esforços de colocação no exterior.

Segundo antecipou reportagem publicada em O Estado de S.Paulo no início de maio, a Raízen estaria se preparando para protocolar o pedido de oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) no começo de junho. Conforme a notícia, a oferta movimentaria entre R$ 10 bilhões e R$ 13 bilhões e já teria atraído investidores estrangeiros, que investem em seus controladores.

O conselho de administração da Raízen Combustíveis ainda deve definir a quantidade de ações a serem alienadas no âmbito da oferta e sua precificação. A eventual oferta estará sujeita à concessão dos registros pela CVM e às condições de mercado, acrescenta a empresa.

Suspensão de guidance

O grupo anunciou ainda que a Raízen Combustíveis e a Raízen Energia optaram por “descontinuar a divulgação das projeções financeiras (guidance)”. A decisão, explica a direção da companhia em fato relevante divulgado há pouco, deve-se a “necessidade de alinhamento de sua política de divulgação de projeções com os procedimentos adotados por seus auditores independentes e demais consultores, no âmbito de eventual oferta pública de distribuição de ações da Raízen Combustíveis”.

De acordo com a empresa, quaisquer considerações sobre estimativas e declarações futuras com relação aos planos, expectativas sobre eventos futuros, estratégias e tendências financeiras que afetam as atividades da Raízen Combustíveis e da Raízen Energia, incluindo quaisquer projeções anteriormente divulgadas, não devem ser consideradas pelos investidores como base para sua decisão de investimento.

Fabiana Holtz – novacana.com

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Refap pode ser vendida por até R$ 1,4 bi

A proposta apresentada pela Ultrapar Participações à Petrobras para a compra da Refinaria Alberto Pasqualini (Refap), no Rio Grande do Sul, ficou entre US$ 1,2 bilhão e US$ 1,4 bilhão, de acordo com fontes do mercado ouvidas pelo Valor.

Preço médio do etanol sobe em 19 estados e no DF na semana, diz ANP

Os preços médios do etanol hidratado subiram em 19 Estados e no Distrito Federal na semana encerrada no sábado (30) ante o período anterior.

Petróleo cai com realização de lucros e dólar, mas mercado mantém otimismo

Os preços do petróleo ampliaram suas perdas nesta terça-feira, em meio a realizações de lucros e um dólar mais forte, mas um otimismo geral quanto a uma possível forte recuperação da demanda manteve um piso para as cotações.

Importador de combustível diz que Petrobras tem preços “predatórios” e vai ao Cade

A Associação Brasileira de Importadores de Combustíveis (Abicom) vai protocolar nesta sexta-feira…