Começamos o mês de outubro, com a gasolina comercializada no Brasil livre de impostos cerca de R$ 0,06/L mais barata do que a gasolina importada e o diesel brasileiro mais caro cerca R$ 0,13/L, o que abre espaço para entrada de produto importado nos portos brasileiros.

Porém até a data de hoje não houve qualquer movimentação por parte da Petrobras, e isso faz com que o cenário atual comece a ser inverter, a gasolina já está há 13 dias sem alteração e o espaço que antes era para queda, hoje tende a ser de alta. Já o diesel está a 22 dias sem qualquer tipo de movimentação, porém, segundo nossas projeções ainda há espaço para queda.

O barril do petróleo tipo Brent oscilou entre 58 e 60 dólares o barril, o Real tem um acumulado negativo de 1,11% no mês de outubro, esses são alguns dos fatores utilizados para acompanhamento da paridade do preço dos combustíveis.

DIESEL: em linha com nossa previsão, ainda há espaço para queda no diesel, porém o cenário tende a inverter e recomendamos a manutenção de estoques regulares para cheios, pois no dia 16/10 em praticamente todos os estados brasileiros haverá alteração no PMPF para cima.

Destacamos também, que no dia 07/10, ocorreu o 69º leilão de biodiesel.

O volume ofertado bateu mais um recorde, um pouco mais de 1,145 mil/m³, ofertado pelas 39 usinas de processamento de biodiesel.

A ANP elevou o preço de referência, isso faz com que o preço do produto seja mais caro do que o produto comercializado no 68º leilão, cerca de 12,8%, comercializado em média R$ 2.826,38/m³. Os novos preços entrarão em vigor no dia 01/11/19, quando se inicia o último bimestre do ano de 2019. O que certamente fará com que o preço do diesel sofra um aumento*.

*Quando for divulgada a planilha com os preços por cada unidade produtora, iremos divulgar o impacto em cada região do país.

GASOLINA: Projeção apontava queda no preço da gasolina…

Analisando a gasolina, segundo nossas projeções, havia um espaço considerável para queda na gasolina de até 12 centavos por litro, porém no fechamento de ontem, esse cenário começou a se inverter e recomendamos nossos clientes manterem os tanques cheios, aproveitando também a oferta de produto mais barata, pois no dia 16/10, em praticamente todos os estados brasileiros, haverá alteração de PMPF para cima, e também há tendência de alta no etanol anidro, o que impacta diretamente no preço final da gasolina.

ETANOL: Com o final da safra da cana-de-açúcar se aproximando, o preço tende a subir….

Com o final da safra da cana-de-açúcar, a tendência de aumento no preço do etanol é um caminho natural, principalmente em um ano onde a demanda pelo produto nunca foi tão alta, fazendo com que o volume comercializado batesse recordes.

O aumento nos preços, historicamente acontece nesse período, principalmente para que a demanda no consumo seja freada, para que haja produto no período da entressafra.

No fechamento da semana do dia 04/10, o etanol hidratado, comercializado para o consumo, fechou em alta de 1,23%, em relação a semana anterior, sendo comercializado à R$ 1,7686/L (sem ICMS e PIS/COFINS), segundo o índice oficial CEPEA/ESALQ. Alta essa que também segue no etanol anidro, que é misturado a gasolina A, o aumento no fechamento da semana do dia 04/10 foi de 1,17%, sendo comercializado à R$ 1,9405/L.

Acesse: Valêncio Consultoria Combustíveis

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR