Resumo Semanal Combustíveis 20/Mar/2020

Petrobrás reajusta preço da gasolina e diesel nas refinarias em 12% e 7,5% respectivamente…

Etanol despenca segundo índice ESALQ….

Produção de petróleo cai 6,2% no Brasil em Fevereiro, levando em comparação Janeiro….

Petróleo já acumula queda de 43,66% no acumulado de Março/20…

Consumo de combustíveis cresce 1% em janeiro segundo ANP…

Projeto de Lei Complementar 10/20, quer fixar valor do ICMS nos combustíveis…

Petrobrás adia proposta para venda de refinarias, devido ao COVID-19

Prêmio de custo da gasolina está em 42% e do diesel em 17%, mesmo com queda aplicada pela Petrobras…

DIESEL: Petrobrás anuncia queda com vigência à partir de 19/03…

É a segunda queda aplica para o diesel nas refinarias, após petróleo desabar no mercado internacional. A queda que entrou em vigor no dia 19/03 foi 7,5%, o que representa um impacto no produto refinado de R$ 0,1330/L.

No acumulado do mês, o produto já caiu nas refinarias R$ 0,2580/L.

Queda essa que já começa a se refletir nos postos do país.

GASOLINA:  Gasolina cai 12% nas refinarias…

A queda anunciada pela Petrobrás representa um impacto de R$ 0,1600/L, na gasolina A.

No acumulado de março a queda total nas refinarias é de R$ 0,32/L, e segundo nossos modelos de tendência, ainda existe espaço para mais quedas.

ETANOL: Etanol tem queda acumulada na ESALQ de 25%…

No acumulado diário, segundo o índice ESALQ, etanol tem queda nas usinas de 25,33% no mês de março.

Acompanhando o índice ESALQ vemos que com o início da safra, e com a queda no preço do petróleo, o etanol começou a cair fortemente nas Usinas. Porém essa queda ainda não se reflete nas distribuidoras, e consequentemente nos postos.

Acesse: www.valencioconsultoria.com.br

Etanol segue assombrado por Petrobras (PETR4) desidratar mais a gasolina, após o diesel

O etanol hidratado foi poupado no final da semana passada, quando a Petrobras (PETR4) apenas diminui o preço do diesel. Mas seguiu e segue assombrado pela possibilidade real de que a estatal reduza a gasolina também.

Goldman Sachs reduz projeções para petróleo no curto prazo, mas segue vendo preços acima de US$ 100 o barril

Os preços do petróleo brent tiveram queda de 25% desde o início de junho, fechando a última sexta-feira (5) na casa dos US$ 94 o barril, sendo puxados recentemente por uma crescente gama de preocupações: recessão, política de Covid-zero da China e setor imobiliário, liberação de reservas estratégicas dos EUA e produção russa se recuperando bem acima das expectativas.

ANP rejeita aumento de estoques mínimos de diesel, em alívio para distribuidoras

A diretoria da ANP rejeitou nesta sexta-feira, 5, uma proposta de aumento de estoques mínimos de diesel A (puro) S10 entre setembro e novembro para mitigar riscos de desabastecimento em meio à oferta global apertada do combustível, mas aprovou um reforço do monitoramento do suprimento nacional.