Rússia e Arábia Saudita estudam pausar aumento da oferta de petróleo

Arábia Saudita e Rússia estão considerando uma medida para pausar seus esforços recentes para fornecer ao mundo mais petróleo

Arábia Saudita e Rússia estão considerando uma medida para pausar seus esforços recentes para fornecer ao mundo mais petróleo, de acordo com pessoas familiarizadas com essas discussões, depois que os Estados Unidos e outros países disseram que iriam liberar reservas da commodity para tentar conter os preços.

Os dois países lideraram a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) na coordenação da produção em meio ao choque de demanda causado pela pandemia no ano passado. Outros integrantes do cartel, incluindo Emirados Árabes Unidos, não estão convencidos de que uma pausa no processo seja necessária, segundo as fontes.

Na terça, os Estados Unidos informaram que, em conjunto com outros países, iria vender parte das reservas de petróleo. A medida veio depois de repetidas tentativas de Washington de convencer a Opep+ a ampliar o fornecimento do ativo energético. A Organização se reúne na próxima semana para revisar um acordo de longo prazo que alcançou no início deste ano para aumentar sua produção coletiva de petróleo.

O acordo envolve planos para aumentar a produção em 400 mil barris por dia todos os meses até o próximo ano, até que o grupo atinja seu nível de bombeamento pré-pandemia. O grupo reduziu drasticamente sua produção em 2020, à medida que a demanda evaporou em meio à covid-19.

A liberação de petróleo bruto liderada pelos EUA de até 70 milhões de barris ameaça embaralhar ainda mais o equilíbrio entre oferta e demanda.

Para compensar a nova oferta, Riad e Moscou estão agora considerando uma pausa no aumento coletivo mensal do grupo, disseram delegados da Opep. OS Emirados Árabes Unidos, um poderoso membro da Opep, e o Kuwait estão resistindo a uma pausa, de acordo com os delegados.

Produção de etanol anidro cresce 22,3% no Nordeste, diz NovaBio

Com a safra 2021/22 em andamento, dados compilados pela Associação dos Produtores de Açúcar, Etanol e Bioenergia (NovaBio) sinalizam que a moagem de cana no Norte-Nordeste atingiu 28,67 milhões de toneladas no acumulado até 15 de novembro.

Valor do petróleo cai 2% e Petrobras ganha espaço para cortar preços no Brasil

O preço do barril de petróleo tipo brent atingiu os US$ 67,44 nesta quinta-feira, 2, o que representa uma queda de 2,08% em relação aos valores praticados na data anterior.

Abastecer com GNV rende quase o dobro que gasolina e etanol, aponta Abegás

Um levantamento da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás) mostra que, atualmente, o Gás Natural Veicular (GNV) tem rendido quase o dobro da gasolina e do etanol.