Os sauditas estão bem perto da Rússia, que exportou cerca de 1,7 milhão de bpd de petróleo para a China até agora em 2020, com o Iraque em terceiro lugar, com cerca de 1,2 milhão de bpd (Imagem: Adobe Stock)

A Arábia Saudita e a Rússia estão em uma corrida acirrada para se tornar o principal fornecedor de petróleo aos chineses em 2020, com os dois países aumentando as exportações para a potência econômica, mesmo com a pandemia do coronavírus atingindo a demanda global este ano.

A Arábia Saudita, que foi o principal fornecedor à China no ano passado, exportou entre 1,6 milhão e 1,7 milhão de barris por dia (bpd) de petróleo bruto de janeiro a novembro de 2020, à medida que cortes profundos de preços deram um impulso às exportações de petróleo saudita este mês, de acordo com empresas de análise Refinitiv, Vortexa e Kpler.

Os sauditas estão bem perto da Rússia, que exportou cerca de 1,7 milhão de bpd de petróleo para a China até agora em 2020, com o Iraque em terceiro lugar, com cerca de 1,2 milhão de bpd.

A indústria do petróleo foi duramente atingida este ano, à medida que a pandemia do coronavírus afetou a atividade comercial e praticamente paralisou a indústria de viagens.

A China, o maior importador de petróleo do mundo, é um dos poucos países que aumentou as compras em 2020, já que os compradores aproveitaram ao máximo os preços baixos no início deste ano, enquanto a demanda por combustível se recuperou a partir do segundo trimestre junto com a economia em geral.

“Parece que a Rússia substituiu a Arábia Saudita e conquistou o primeiro lugar neste ano”, disse Serena Huang, analista da Vortexa. “É uma corrida pescoço a pescoço e resta saber quem será o vencedor final.”

O volume de petróleo saudita chegando à China em novembro deve atingir entre 2,13 milhões e 2,24 milhões de barris por dia, em comparação com um recorde de 2,1 milhões a 2,14 milhões de bpd em maio, mostraram estimativas das três empresas. Isso seria quase o dobro de suas estimativas de volume para outubro.

O aumento ocorre enquanto a gigante estatal do petróleo Saudi Aramco cortou drasticamente os preços do petróleo para clientes asiáticos em outubro, disseram fontes comerciais. Demora cerca de um mês para as cargas serem enviadas.

Fonte: Reuters

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Na era Pós-Petrobras, venda de biodiesel gera incertezas

Produtores de biodiesel e distribuidoras de combustível estão em debate sobre a…

Goldman eleva estimativa de produção de petróleo do Brasil até 2022

A previsão da Petrobras é de investimentos de US$ 40 bilhões a US$ 50 bilhões entre 2021 e 2025

Raízen, Ultra e Mubadala devem liderar disputa por refinarias da Petrobras

A Raízen, controlada pela Cosan, e o Grupo Ultra, dona dos postos…