As operações de comercialização de petróleo e gás da Shell, as maiores do mundo, não aumentaram a receita de forma significativa no trimestre (Imagem: Reuters/Marcos Brindicci)

Os lucros da Royal Dutch Shell (RDSA34) avançaram para 3,23 bilhões de dólares no primeiro trimestre do ano e a companhia elevou seus dividendos, conforme planejado, embora alertando que o cenário permanece com incertezas devido à pandemia de coronavírus.

Os lucros ajustados da Shell ficaram acima da projeção média de analistas, de 3,125 bilhões de dólares, e também superaram os resultados de 2,9 bilhões de dólares do ano anterior, impulsionados por vendas de ativos e maiores preços do petróleo e de gás natural liquefeito (GNL), disse a companhia nesta quinta-feira.

As vendas de ativos de petróleo e gás em países incluindo Nigéria, Canadá e Egito adicionaram 1,4 bilhão de dólares aos lucros do primeiro trimestre.

“O trimestre prova sem dúvidas que o poder de gerar lucros da Shell segue intacto”, disse o analista Oswald Clint, do Bernstein, em nota.

→ Série gratuita mostra, nesta semana, como investir com especialistas

A Shell disse que suas vendas de combustíveis recuaram 13% no primeiro trimestre devido a novas medidas de lockdown e com o impacto de uma tempestade no Texas em fevereiro. A companhia disse ainda que há “significativa incerteza” sobre as perspectivas de demanda para o segundo trimestre.

A companhia anglo-holandesa elevou seus dividendos em 4%, conforme planejado, no segundo aumento desde que cortou os proventos em dois terços no começo do ano passado, devido à pandemia.

O fluxo de caixa das operações da Shell, um importante indicador de desempenho, cresceu para 8,3 bilhões de dólares, de 6,3 bilhões antes ajudando a reduzir sua dívida para 71,3 bilhões de dólares.

As operações de comercialização de petróleo e gás da Shell, as maiores do mundo, não aumentaram a receita de forma significativa no trimestre, ao contrário da rival BP, que relatou na terça-feira uma receita “excepcional” de seu negócio de vendas de gás natural.

A Shell disse que a comercialização de GNL ficou significativamente abaixo da média no trimestre como resultado das provisões de crédito após a tempestade no Texas, que provocou um grande blecaute no Estado e deixou milhões de pessoas sem luz, aquecimento e água.

As vendas de combustível da Shell caíram no primeiro trimestre para 4,16 milhões de barris por dia (bpd), mas a companhia espera que elas aumentem para uma média de 4,5 milhões de bpd no segundo trimestre.

A produção de óleo e gás nas operações de upstream da Shell caiu 9% em relação ao ano anterior, para 2,46 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed) devido a atividades de manutenção e desinvestimentos.

Fonte: Reuters

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Por Que o Petróleo Deve Continuar em Consolidação (ao Menos no Curto Prazo)

Esta semana tivemos diversas perspectivas austeras para demanda no mercado petrolífero, mas os preços ignoraram esses relatórios e subiram.

Na era Pós-Petrobras, venda de biodiesel gera incertezas

Produtores de biodiesel e distribuidoras de combustível estão em debate sobre a…

Petróleo fecha em alta com dólar e em reação a compromisso reiterado da Opep+

O petróleo fechou em alta nesta terça-feira, 28, ainda em reação ao compromisso reafirmado ontem pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) de conter a oferta da commodity energética.

Preços do petróleo caem com expectativa de maior oferta da Opep+ e do Irã

Os preços do petróleo recuavam nesta segunda-feira (5), com o Brent abaixo de US$ 64 devido a uma expectativa de maior oferta da Opep e à crescente produção no Irã, que compensaram sinais de uma retomada econômica forte nos Estados Unidos e expectativas de uma recuperação da demanda em geral em 2021.