A Shell projetava antes que as vendas no trimestre atingiriam 4,5 milhões de bpd (Imagem: Money Times / Rafael Borges)

A Shell espera que suas vendas de combustíveis caiam ou na melhor hipótese fiquem estáveis no primeiro trimestre, disse nesta quarta-feira a empresa, líder global em comercialização de combustíveis no varejo, indicando que a recuperação da demanda segue lenta em meio a restrições associadas ao coronavírus.

Em atualização sobre suas operações de comercialização, a Shell disse que suas vendas de produtos refinados de petróleo no primeiro trimestre ficaram entre 3,7 milhões e 4,7 milhões de barris por dia (bpd), ante 4,8 milhões de bpd no último trimestre de 2020.

A Shell projetava antes que as vendas no trimestre atingiriam 4,5 milhões de bpd.

As taxas de utilização de refinarias no trimestre ficaram em de 71% a 75% , ante projeção de 73% a 81%.

As margens de refino da Shell melhoraram para cerca de 2,6 dólares por barril no trimestre, ante 1,6 dólar no trimestre anterior.

Em gás, a Shell disse que os resultados de comercialização serão “significativamente abaixo da média”.

A Shell vê sua produção de gás natural liquefeito (GNL) em entre 7,8 milhões e 8,4 milhões de toneladas, ante 8,2 milhões de toneladas no trimestre anterior e uma previsão de entre 8 milhões e 8,6 milhões de toneladas.

A produção total do setor de “upstream” deve subir para de 2,4 milhões a 2,48 milhões de barris de óleo equivalente, na faixa inferior das projeções anteriores, ante 2,37 milhões no último trimestre de 2020.

Shell
Em gás, a Shell disse que os resultados de comercialização serão “significativamente abaixo da média” (Imagem: Unsplash/@marcrnt)

Uma onda de frio que atingiu o Texas deve ter impactado a produção entre 10 mil a 20 mil bpd, impactando os lucros ajustados do primeiro trimestre em 200 milhões de dólares. A empresa divulgará seu balanço em 29 de abril.

Fonte: Reuters

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

China compra mais petróleo do Irã e reduz apetite por barris do Brasil e Angola

Importações recordes de petróleo do Irã pela China nos últimos meses reduziram o espaço para compras de produtores rivais, forçando vendedores do petróleo de países como Brasil, Angola e Rússia a reduzir preços e diversificar embarques para a Índia e Europa.

Os Futuros do Petróleo subiram durante a sessão dos Estados Unidos

Investing.com – Os Futuros do Petróleo subiram durante a sessão dos Estados…

Petrobras considera abusiva greve contra venda da Refinaria Landulpho Alves

A Petrobras considera abusiva a greve anunciada pela Federação Única dos Petroleiros (Fup) para a próxima quinta-feira (18) na Refinaria Landulpho Alves.

Preços do petróleo sobem com navio encalhado no Canal de Suez, mas lockdowns pesam

Os preços do petróleo subiam nesta quarta-feira, depois que um navio encalhou no Canal de Suez, o que gerou preocupações sobre a oferta, embora temores de uma lenta recuperação na demanda devido a “lockdowns” na Europa tenham limitado os ganhos.