De acordo com Ativa Investimentos, Silva e Luna manteve o o tom conciliatório e parcimonioso que adotou durante o período de transição (Imagem: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O discurso de posse do novo CEO da Petrobras (PETR3;PETR4), General Silva e Luna, animaram investidores, com as ações da petroleira subindo cerca de 6% após o evento.

Na fala, Silva e Luna fez acenos para o mercado. Em um discurso de pouco mais de 15 minutos, no qual ressaltou que “deve chegar ouvindo mais e falando menos”, o general da reserva defendeu que é preciso conciliar “interesses de consumidores e acionistas”.

Na sequência, ele disse que buscará “reduzir volatilidade, sem desrespeitar a paridade internacional, perseguindo a redução da dívida, investindo em pesquisa e desenvolvimento e contribuindo para a geração de previsibilidade ao planejamento econômico nacional”.

De acordo com Ativa Investimentos, Silva e Luna manteve o o tom conciliatório e parcimonioso que adotou durante o período de transição.

“Mas acreditamos que a aplicação de transformações no dinamismo de preços e a manutenção da paridade tendem a apresentar antagonismo e requererão do novo CEO, decisões que, corretamente, serão tomadas após o mesmo se ambientar na presidência da companhia”, afirma.

A grande questão que se coloca é se o executivo terá capacidade de atender a necessidade do governo de controle dos preços sem, com isso, prejudicar a empresa perante o mercado.

Uma das soluções, que estão em estudos, é a criação de um fundo de estabilização, “que apesar de ser mais benigno que uma medida mais drástica como o cancelamento da paridade, requererá habilidade e possivelmente, capital político até ser formulada de forma definitiva e aplicada”, argumenta a corretora.

Já a Ágora Investimentos acrescenta que as ações de Silva e Luna agora precisarão ser cuidadosamente observadas.

“Com base em seu discurso, acreditamos que a política de preços da Petrobras acompanhará a paridade, mas com menos alterações frequentes ao longo do ano. Também esperamos ver a nova política sendo anunciada oficialmente ao mercado em breve”, destacam.

Fonte: Money Times

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Nova especificação da gasolina não resultará em aumento de preço em São Paulo

Gasolina brasileira recebeu novas especificações, mas isso não vai fazer com que ela fique mais cara. Rendimento é superior em até 6% e ela ficou mais difícil de ser adulterada

Momento de virada: Distribuidoras possuem mais CBios que usinas

Pela primeira vez desde dezembro do ano passado, as distribuidoras de combustíveis fósseis passaram a deter mais créditos de descarbonização (CBios) que as usinas. Os dados correspondem ao acompanhamento diário realizado pela B3, única entidade a atuar como registradora do RenovaBio.

Combustível do Futuro prioriza uso de fontes alternativas de energia

A criação do programa Combustível do Futuro, que prioriza o uso de fontes alternativas de energia e o fortalecimento do desenvolvimento tecnológico nacional, foi formalizada recentemente por meio de uma resolução do Conselho Nacional de Política Energética.

Produção de petróleo e gás no Brasil sobe 4,5% em abril, revela ANP

A produção de petróleo e gás natural no Brasil cresceu 4,5% em abril contra março, para 3,798 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boe/d), informou a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). A produção do pré-sal correspondeu a 72,7% do total, ou 2,761 milhões de boe/d.