Biodiesel em alta (Crédito: Arquivo/Dinheiro Rural)

A União Brasileira do Biodiesel e do Bioquerosene (Ubrabio) informou ter pedido hoje, em encontro com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, a retomada da programação da mistura obrigatória do biodiesel ao diesel de petróleo. O porcentual tinha sido reduzido temporariamente de 13% para 10% em março, mas terminou sendo mantido por mais um bimestre.

“A interrupção da programação da mistura do biodiesel traz incertezas a todo o complexo soja que pode ser desestruturado com a medida”, disse à ministra o presidente da entidade, Diego Ferrés, segundo nota.

Ele pediu à Tereza Cristina que o governo “volte a definir uma previsibilidade para o programa para que as indústrias possam programar seus investimentos adequadamente”.

“Por lei, o porcentual de mistura do biodiesel ao diesel fóssil deveria ser mantido em 13% desde março deste ano, elevado para 14% em março do próximo ano e para 15% em 2023. Mas, por decisão do conselho nacional de política energética (CNPE), o índice de mistura foi interrompido”, diz a Ubrabio na nota.

Autor/Veículo: Terra

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

ICMS: setor produtivo aguarda posicionamento sobre imposto no diesel e etanol

Depois de ter sinalizado que vai publicar na próxima quinta-feira, 14, o…

Setor de biodiesel do Brasil quer antecipar mistura de 13% ao diesel para 1º de julho

O setor de biodiesel está pleiteando junto ao governo a antecipação da mistura de 13% do biocombustível ao diesel para 1º de julho.

Opep+ concorda em aumentar a oferta de petróleo após Emirados vencerem debate com Arábia Saudita

Ministros da Opep+ concordaram neste domingo em aumentar a oferta de petróleo a partir de agosto para frear os preços, que subiram para máximas em dois anos e meio à medida que a economia global se recupera da pandemia de coronavírus.

Governo estuda usar fundo para compensar alta de preços dos combustíveis

Apesar de dizer que não vai interferir nos preços dos combustíveis, o governo de Jair Bolsonaro estuda uma forma de tentar amortecer os reajustes.