Apesar de notar que tais ações “devem impactar” o consumo de combustíveis, a Unica ressaltou que esse movimento deve se contrapor a uma “maior participação do etanol hidratado no consumo total” (Imagem: Reuters/Marcelo Teixeira)

As medidas mais rigorosas para conter a disseminação da Covid-19 adotadas em vários Estados deverão pesar no consumo de combustíveis em março, avaliou a União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica) nesta quinta-feira.

Apesar de notar que tais ações “devem impactar” o consumo de combustíveis, a Unica ressaltou que esse movimento deve se contrapor a uma “maior participação do etanol hidratado no consumo total”.

Na primeira quinzena de março, a Unica observou que as vendas de etanol cresceram, diferentemente do esperado.

O diretor técnico da Unica, Antonio de Padua Rodrigues avaliou que isso “pode ser em parte justificado pelo diferencial de preço favorável ao biocombustível (ante a gasolina) e por um possível movimento das distribuidoras para a recomposição de estoques operacionais”.

As vendas de etanol anidro (misturado à gasolina) por unidades do centro-sul para o mercado interno somaram 390,26 milhões de litros na primeira quinzena de março, alta de 1,85% na comparação anual, enquanto as vendas de hidratado atingiram 778,59 milhões de litros, alta de 11,13% na comparação anual.

Fonte: Reuters

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Consumo de combustíveis tem pior março desde 2011, aponta ANP

No primeiro mês de medidas de restrição à circulação de pessoas, como estratégia de enfrentamento à pandemia da covid-19 no Brasil, o consumo de combustíveis caiu 5,3% em março, na comparação com igual período do ano passado.

Estoque de CBIOS representa 25% da meta de 2021

O primeiro mês do ano mal terminou e a quantidade de Créditos de Descarbonização (CBios) disponíveis para negociação já representa 25% da meta de 2021.

Os Futuros do Petróleo subiram durante a sessão dos Estados Unidos

Na Bolsa Mercantil de Nova York, Os Futuros do Petróleo em Março foram negociados na entrega a US$ 52,93 por barril no momento da escrita, subindo 0,97%.

Ultrapar lidera negociações com Petrobras pela Refap

O Grupo Ultrapar (UGPA3) apresentou à Petrobras (PETR4) a maior oferta pela Refinaria Alberto Pasqualini (Refap), localizada no Rio Grande do Sul, e está à frente nas conversas para aquisição do ativo, segundo três pessoas próximas ao assunto.