Após a aprovação das diretrizes do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) para que o etanol possa ser vendido das usinas diretamente para os postos de combustíveis, Evandro Gussi, presidente da União da Indústria de Cana de Açúcar (UNICA) diz que a mudança não irá mudar muita coisa para o consumidor.

“Todos os estudos que vemos mostra que não haverá alteração relevante com a mudança. Apesar de tirar a distribuidora, você mantém as estruturas de custo. Calculamos que menos de 5% do mercado irá optar pela venda direta.”

Gussi diz que a UNICA não se opõe a medida, mas que o foco para o setor devia ser o RenovaBio, programa da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) que irá estabelecer o sistema de créditos de carbono no Brasil, mas que a tributação que está atrapalhando a implantação do projeto.

“Para a sustentabilidade do Brasil, o RenovaBio é a grande cartada do país para o mundo, mas temos o desafio de resolver a tributação, que está equivocada para padrões internacionais.”

Fonte: CNN

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Procon abre ação civil contra 260 postos e cinco distribuidoras de combustíveis do AM

Ação busca responsabilizar o grupo pela prática abusiva contra os consumidores manauaras.

Opep reduz previsão de demanda por petróleo em 2020; coronavírus gera dúvida sobre 2021

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) disse ontem que a demanda global por petróleo deve cair mais em 2020

Venda de refinarias vai trazer mudança radical, diz Raízen

A distribuição de combustíveis no Brasil está prestes a experimentar uma mudança…

Acordo entre Opep e Rússia para cortes de produção desmorona; petróleo despenca

VIENA (Reuters) – A lua de mel entre a Organização dos Países…