A medida deixou para trás décadas de preços congelados que haviam transformado a Venezuela no país com a gasolina mais barata do mundo (Imagem: Gustavo Kahil/Money Times)

A petroleira estatal venezuelana Petroleos de Venezuela começou a racionar diesel a caminhoneiros, disseram à Reuters quatro fontes do setor de transportes, uma vez que a baixa produção de refino doméstico e a escassez de importações em meio à sanções dos Estados Unidos prejudicam a oferta.

Caminhoneiros frustrados bloquearam uma estrada no Estado central de Maracay em protesto pela escassez na sexta-feira mostraram imagens de mídias sociais.

Grupos industriais disseram que o racionamento sem precedentes provocará atrasos na entrega de produtos a mercados no país, que enfrenta uma prolongada crise econômica.

A falta de diesel acontece após o país sofrer com a escassez de gasolina em 2020, levando o presidente Nicolás Maduro a cortar os antigos subsídios e importar gasolina do Irã.

O diesel ainda é distribuído aos caminhoneiros de forma gratuita.

A medida deixou para trás décadas de preços congelados que haviam transformado a Venezuela no país com a gasolina mais barata do mundo.

“Estamos falando de uma dificuldade sem paralelo nos últimos tempos”, disse Jesús Rodríguez, presidente da câmara de comércio da cidade de Puerto Cabello, sede do maior porto de contêineres da Venezuela.

Fonte: Reuters

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

AIE eleva previsão para demanda global por petróleo

Previsões de um novo super ciclo do petróleo são exageradas, uma vez que os estoques globais da commodity permanecem bem acima dos níveis de um ano atrás, quando a pandemia de covid-19 começou a prejudicar a demanda, afirmou a Agência Internacional de Energia (AIE).

Em primeira queda desde maio, vendas de etanol recuam em novembro

As vendas de etanol hidratado (que abastece diretamente os tanques) das distribuidoras…

Petrobras tem lucro líquido de quase R$ 60 bi no 4º tri

A Petrobras (PETR4) teve lucro líquido de 59,9 bilhões de reais no quarto trimestre do ano passado, ante 8,15 bilhões de reais no mesmo período de 2019.

Os Futuros do Petróleo subiram durante a sessão dos Estados Unidos

Na Bolsa Mercantil de Nova York, Os Futuros do Petróleo em Março foram negociados na entrega a US$ 52,93 por barril no momento da escrita, subindo 0,97%.